• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Homens mortos em confronto com PM eram integrantes de grupo envolvido em atentado contra coronel em Teresina, diz comandante


As famílias dos jovens mortos negam que eles são criminosos e registraram boletim de ocorrência no DHPP. Um inquérito foi aberto para apurar a ação policial. Coronel Scheiwann Lopes, comandante geral da Polícia Militar do Piauí
Andrê Nascimento/ g1 PI
Os dois homens mortos durante confronto com policiais militares na Vila Mocambinho, Zona Norte de Teresina, eram integrantes do grupo criminosos envolvido no atentado contra o coronel Maurício de Lacerda, na segunda-feira (17). A informação foi confirmada pelo comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Scheiwann Lopes.
Já as famílias de José Nilton de Sousa e Samuel Magno, mortos durante confronto com a PM, negam que eles são criminosos e registraram boletim de ocorrência no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Um inquérito foi aberto para apurar a ação policial que levaram os jovens a óbito.
Segundo o comandante da PM-PI, as equipes de inteligência das Polícias Civil e Militar estavam fazendo acompanhamento de grupos criminosos na Vila Mocambinho e o Departamento de Combate a Organizações Criminosas (Draco) estava montando uma operação, e havia solicitado os mandados de prisão, busca e apreensão contra os investigados.
“Com o caso pontual que aconteceu com o coronel Lacerda, identificamos parte dos indivíduos que tiveram no atentado ao oficial. Em uma busca por localização através do Batalhão Especial de Policiamento do Interior, na Vila Mocambinho estavam os integrantes da quadrilha, que receberam o policiamento a bala. Houve essa reação, troca de tiros e dois foram a óbito”, contou.
Conforme Scheiwann, membros do grupo criminoso ao qual pertencia os dois jovens mortos foram responsáveis pelos incêndios de cinco ônibus em Teresina. Ele definiu o ato como ‘retaliação’ a ação policial.
“A operação estava montada e decidimos antecipar diante desses últimos acontecimentos. Ao todo, 11 pessoas foram presas, desses 5 estavam sendo monitorados pelo Draco e tinham mandados de prisão, 6 são ligados diretamente aos incêndios dos ônibus, que fazem parte do grupo criminoso que foi a óbito e tinha participação com o evento do coronel”, declarou.
De acordo com o comandante, a ocupação na Vila Mocambinho continua. A polícia pretende intensificar a ação em outras regiões de Teresina e outros municípios.
📲 Confira as últimas notícias do g1 Piauí
📲 Acompanhe o g1 Piauí no Facebook, no Instagram e no Twitter
VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

Adicionar aos favoritos o Link permanente.