• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

‘Abelinhas’ e ‘zangões’ começam produção de quitutes para a Festa do Divino de Mogi


Depois de três anos de suspensão, a quermesse do Divino volta a ser realizada. Evento será entre 18 e 28 de maio. Produção de doces para a Festa do Divino de Mogi começa nesta terça
Nesta terça-feira (18) começa pra valer o trabalho na Casa da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes. A área, no Mogilar, recebe as conhecidas “abelhinhas” e “zangões”, o grupo responsável por fazer os quitutes para a quermesse. A abertura do espaço aconteceu nesta segunda-feira (17), com bênçãos e reencontros.
“É gostoso, a turma toda. Então a gente participa com gosto”, diz a pensionista Luzia dos Santos.
O bispo diocesano, Dom Pedro Luiz Stringuini, abençoou o início dos trabalhos. “São mulheres sobretudo, alguns homens também, as abelhinhas que vão fazer os doces e salgados. Mas como o doce chama muita atenção, então são chamados de abelhinhas. Esta sede da associação passa a ser chamada de ‘casa da festa’, a sede da festa na parte social, na parte recreativa, que é a quermesse”.
Evento abre Casa da Festa, espaço onde são feitos quitutes para a Festa do Divino de Mogi
Reprodução/TV Diário
Até o final da Festa do Divino, que será realizada entre 18 e 28 de maio, cerca de 60 a 100 voluntários vão se dedicar de segunda a segunda na produção dos doces e salgados que serão vendidos na quermesse. O mais tradicional é o de abóbora. O estoque de matéria-prima já está abastecido para o pessoal dar o pontapé inicial.
“Agora nós iniciamos com os doces de tacho. Agora, mais próximo da festa, nas vésperas da festa, a gente começa a preparação dos salgados. Durante a festa nós temos a confecção do tortinho e confecção de arroz doce e sagu”, diz Márcia Andere, coordenadora da Casa da Festa.
A praticamente um mês para o início da Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, a benção das abelhinhas marca uma contagem regressiva para o evento. Este ano, o momento foi ainda mais especial.
“É um momento de muita alegria nesse reencontro, a grande maioria das abelhinhas nós não víamos desde antes da pandemia. Ano passado nós fizemos alguns doces só, com um pequeno número de pessoas que trabalhou. Então é um momento de total alegria, reencontro, muita fé já por aqui”, afirma Márcia.
Depois de três anos, a Festa do Divino Espírito Santo vai voltar com todas as suas tradições. A quermesse, que é a parte social do evento, não foi realizada nem em 2020 e nem em 2021. No ano passado, foi feito um delivery na casa da festa, mas em quantidades bem reduzidas. Em 2023, a quermesse está de volta e com novidades.
“A primeira coisa na quermesse, de novidade, é o sistema de pagamento agora. Nós temos os caixas volantes. Cada barraca vai ter seu caixa-volante na frente, a pessoa com um ‘pirulitinho’ atrás escrito ‘caixa’. Você pode comprar nesses caixas com cartão de crédito, cartão de débito, ou pela plataforma, ou com pix. Não vai poder pagar em dinheiro ali. Mas se quiser pagar com dinheiro, pode se dirigir ao caixa central. Então vamos estar aceitando qualquer tipo de pagamento, inclusive antecipado em plataforma”, explica o festeiro Josmar Cassola Silva.
Enquanto não colocam a mão na massa, os voluntários aproveitaram para degustar as delícias que eles vão ajudar a produzir, até porque daqui pra frente vai faltar tempo para isso. Mesmo com correria, quem participa adora e não abre mão.
Um exemplo disso é dona Cleusa, que está há 39 anos nesta missão. “A gente se sente muito bem. Muito bem mesmo. O Divino ajuda a gente, né?”.
Assista a mais notícias

Adicionar aos favoritos o Link permanente.