• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Polícia desmonta ocupação de quilombolas em área de conflito no Acará, no Pará


Manifestação reivindicava saída de seguranças armados de áreas controladas pela empresa BBF, que explora óleo de dendê na região. Na quarta, quilombolas foram feridos por tiros. Polícia do Pará desmonta ocupação em ramal em área de conflito de terra no Acará.
Reprodução / TV Liberal
Uma manifestação bloqueou um ramal que dá acesso à fazenda Vera Cruz, no Acará, nordeste do Pará, área controlada pela empresa que explora óleo de palma na região, Brasil BioFuels (BBF). A região é palco de conflito de terras envolvendo o empreendimento e comunidades quilombolas.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Na noite de domingo (16), forças policiais das polícias Civil e Militar foram ao local para cumprir mandado de desocupação, determinada pela Comarca do Acará. O acampamento foi, então, desarticulado.
O protesto já durava três dias, reunindo cerca de 50 pessoas, incluindo crianças, no ramal de acesso a duas áreas que a empresa atua. A reivindicação era a saída da segurança armada utilizada pela BBF na região.
Funcionários são mantidos reféns em fazenda de dendê no Acará
Vídeos feitos na quarta-feira (12) mostraram quilombolas da comunidade Amarqualta sendo agredidos por seguranças armados e encapuzados da empresa. Já a empresa disse que seriam “invasores armados”. Ao menos três quilombolas ficaram feridos.
Segundo relatos de funcionários da empresa, que ficaram sem ter como sair da fazenda, não havia como se abastecerem de alimentos, água, combustíveis para geradores.
PM desarticula protesto de quilombolas em área de conflito no Acará, no Pará.
Reprodução / TV Liberal
A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que, no domingo, foi emitida uma ordem judicial determinando a desocupação e o desbloqueio da fazenda Vera Cruz e que equipes especializadas, por meio de ação integrada, cumpriram o mandado judicial, realizando a desocupação e desbloqueio das vias de acesso à fazenda.
De acordo com a Segup, um inquérito será instaurado para apuração dos fatos.
LEIA MAIS:
‘Guerra do dendê’ tem acusação de grilagem, cartório-fantasma e conflitos entre empresas, indígenas e quilombolas
Tensão entre seguranças da BBF e indígenas Tembé é acirrada por vala cavada em área de disputa
‘Empresa BBF já registrou mais de 500 B.O.s para tentar criminalizar indígenas no Pará’, diz procurador
Leia notícias do estado em destaque no g1 Pará

Adicionar aos favoritos o Link permanente.