• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Família busca por respostas para morte de bebê após ser atendida em UPA de Anápolis


Mãe diz que Maria Alice deu entrada na unidade de manhã, fez exames e foi liberada, mas voltou à noite passando mal. Causa da morte ainda não foi confirmada. Bebê de cinco meses morre na UPA de Anápolis
A dona de casa Renata da Silva Bezerra, de 24 anos, busca por respostas sobre a morte da filha, a pequena Maria Alice, de cinco meses, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Renata disse que a filha deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Perfil Pediátrico com febre e vômito, recebeu a receita de um antialérgico e foi liberada.
“Eu pedi pra ele [o médico] fazer um exame de raio-x e não foi feito. Pedi um exame na cabecinha dela e eles falaram que o hospital não tinha capacidade, nem equipamento para fazer. Eu pedi transferência e eles falaram que ela não ‘tava’ internada e que ela não tinha motivo nenhum ‘pra tá’ internada porque ela tava ótima, que ela tava mais saudável do que eu”, relatou a mãe à TV Anhanguera.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que há suspeita de que óbito pode ter sido causado por meningite, mas aguarda o resultado dos exames. Segundo a pasta, a UPA é gerida pela Fundação Universitária Evangélica (Funev).
Já a Fundação Universitária Evangélica (Funev) disse que lamenta a morte de Maria Alice, que ela recebeu atendimento imediato e que a equipe seguiu todos os protocolos. Segundo a Funev, a menina teve uma parada cardiorrespiratória e os profissionais tentaram reanimá-la por cerca de uma hora. Quando a menina teve a parada, ela já estava há mais de 8 horas na unidade, em box de estabilização, segundo a fundação (leia detalhes abaixo e a nota completa no fim da reportagem).
LEIA TAMBÉM:
Bebê morre afogado após cair dentro de balde com água, em Goiânia
Bebê morre após carro da família bater contra árvore quando eles voltavam de confraternização de Natal, na GO-230
Recém-nascida é achada morta em Goiânia
Maria Alice, de cinco meses, morreu em Anápolis, Goiás
Arquivo Pessoal/Renata da Silva Bezerra
Renata contou que a menina deu entrada na UPA na manhã de sexta-feira (14), mas voltou a passar mal, retornou à unidade à noite e morreu no sábado (15). A declaração de óbito da menina detalhou que a causa da morte será esclarecida após a necropsia. A ocorrência foi registrada na Polícia Civil, mas a delegada Kenia Segantini disse que o caso não chegou à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente até o início da tarde desta segunda-feira (17).
A mãe disse que a filha tinha uma doença que causava bolhas na pele, mas ela ainda passava por exames para descobrir do que se tratava. Revoltada, a dona de casa pede justiça.
“Eu espero justiça e que os culpados paguem porque o médico viu a minha filha morrer, a médica veio com toda a paciência do mundo, pegou nela calminha e não me falou um ‘A’. Agora querem alegar que a menina está com uma doença. Por que não me falaram isso na hora que eu entrei? Já que deram conta de detectar depois de morta”, desabafou Renata.
Detalhes do quadro
A Funev detalhou que Maria esteve na UPA na manhã do dia 14, com queixas de febre e vômitos, os médicos fizeram exames, a medicaram e a liberaram. Após piora dos sintomas, a família voltou à unidade à noite, a menina fez novos exames e ficou em observação. Na madrugada, Maria apresentou um rebaixamento de nível de consciência, e teve uma parada cardiorrespiratória, segundo a fundação.
Nota Secretaria Municipal de Saúde
A Secretaria Municipal de Saúde informa que foi notificada sobre uma suspeita de óbito causado por meningite e, no momento, aguarda o resultado dos exames que estão sendo realizados pelo Lacen. A criança foi atendida pela UPA Pediátrica, cuja gestão é de responsabilidade da FUNEV.
Nota Funev
Sobre a paciente Maria Alice, de apenas 5 meses, que veio a óbito nesta unidade na madrugada de sábado (15 de abril), a Fundação Universitária Evangélica – FUNEV, gestora da UPA Perfil Pediátrico de Anápolis, informa:
Preliminarmente, a FUNEV e toda a sua equipe expressam seus mais sinceros sentimentos à família enlutada.
Informamos que a criança esteve na unidade na manhã do dia 14, com queixas de febre e vômitos, foram realizados exames, sendo medicada para os sintomas e liberada após reavaliação, com orientação para retornar em caso de piora dos sintomas. Retornou por volta das 22 horas e foi acolhida novamente, novos exames foram feitos, e permaneceu em observação na unidade. Durante a madrugada, apresentou um rebaixamento de nível de consciência, e teve uma parada cardiorrespiratória, os profissionais tentaram reanimá-la por cerca de uma hora mas, infelizmente, sem sucesso.
Ressaltamos que a criança recebeu atendimento imediato, todos os protocolos foram seguidos, e que no momento da parada cardiorrespiratória, a criança já se encontrava há mais de 8 horas na unidade, em Box de estabilização, devidamente assistida e monitorada.
A Fundação Universitária Evangélica entende que este é um momento de luto em comunidade e coloca-se à disposição para eventuais esclarecimentos.
Veja outras notícias da região no g1 Goiás.
VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

Adicionar aos favoritos o Link permanente.