• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

MP denuncia 21 pessoas investigadas por fraudes em concurso na prefeitura de Parauapebas, no Pará


Inquérito apontou que candidata tinha gabarito e que ponto eletrônico e relógios foram usados durante a prova. Prefeitura de Parauapebas, no sudeste do Pará.
Reprodução / Prefeitura de Parauapebas
Vinte e uma pessoas indiciadas por fraude em prova de concurso da prefeitura de Parauapebas, no sudeste do Pará, são alvo de denúncia do Ministério Público do Pará.
A investigação aponta que candidata foi flagrada com gabarito e que houve uso de pontos eletrônicos e relógios durante a aplicação do certame, segundo o MP.
Em nota, a Prefeitura de Parauapebas informou “que todas as medidas já foram tomadas para resguardar a lisura do processo”. – Leia o posicionamento completo mais abaixo.
A prova foi aplicada nos dias 19 e 26 de novembro de 2023. A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar as denúncias de fraude.
Segundo o MP, o concurso público foi realizado para atender determinação judicial, após ação civil pública, que havia detectado o déficit de servidores públicos nas secretarias do município de Parauapebas.
A denúncia aponta que a fraude chegou ao conhecimento das autoridades policiais após uma candidata ser flagrada em Palmares, na zona rural de Parauapebas, no dia da aplicação da prova portando o gabarito da prova antes mesmo da realização do exame.
Após a descoberta, a Prefeitura então suspendeu o concurso,que tinha participação de mais de 40 mil candidatos. Muitos candidatos saíram de outros municípios para fazer a prova.
Denunciantes anônimos alegaram que candidatos teriam utilizado ponto eletrônico e relógios durante a aplicação do certame, segundo as investigações.
Os próprios candidatos relatam terem desembolsado quantias de R$ 1 mil a R$ 2 mil para utilizar o equipamento, e que receberam orientações prévias em reuniões anteriores com outros candidatos que ficaram encarregados de encontrar pessoas dispostas a pagar o valor dos gabaritos.
A investigação também aponta que a Fundação Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp) forneceu cartões respostas dos candidatos ao cargo de auxiliar administrativo e fiscal de vigilância sanitária.
Foi constatado, ainda, que o gabarito coincidia com as respostas que estavam com a candidata descoberta em Palmares, segundo o MP.
Posicionamento
A Prefeitura de Parauapebas informou que “Com base nas apurações do órgão responsável pelo caso, a administração está fazendo a apuração mediante processo administrativo de eventual descumprimento contratual pela banca realizadora da prova, a Fadesp.
Em relação ao ex-servidor Denilson da Silva Cruz, citado no processo, ressaltamos que o mesmo fez parte do quadro de servidores temporários da prefeitura como auxiliar administrativo em 2021 e 2022.
Já o vice-diretor da Escola Nelson Mandela, citado nas investigações da Polícia Civil na fraude do concurso municipal, a prefeitura esclarece que uma sindicância já está sendo instaurada para investigar os fatos. Assim, com base nos resultados apurados, a gestão municipal tomará as medidas cabíveis através do processo disciplinar formal contra o servidor.
A gestão municipal destaca que preza pelo compromisso de conduzir concursos públicos de forma transparente, justa e conforme os princípios da legalidade e isonomia e está à disposição da Justiça e da população para quaisquer esclarecimentos”.
A Fadesp também foi procurada pela reportagem, mas até a publicação da reportagem não recebeu retorno.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.