• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Projeto que analisa o acesso a medicamentos na Amazônia leva pesquisadores a Óbidos, no PA


Iniciativa tem como objetivo avaliar a capacidade de gestão da Assistência Farmacêutica (AF). Pesquisadores da Ufopa em reunião com a secretária adjunta de Saúde
Odirley Santos / Ascom PMO
Pesquisadores da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) que integram o projeto denominado “Acesso a medicamentos na Amazônia: Influência do fator amazônico sobre a Assistência Farmacêutica” articular com a Secretaria Municipal de Saúde de Óbidos, no Baixo Amazonas, levantamento de informações para contribuir na avaliação da capacidade de gestão da Assistência Farmacêutica (AF), em municípios paraenses.
O foco do projeto é analisar o impacto do fator amazônico no desenvolvimento da AF na região. Trata-se de um estudo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa e qualitativa, que terá como unidade de análise três municípios do estado, além de Óbidos, a pesquisa será aplicada em Altamira e Jacareacanga.
“Nosso foco é fazer uma boa avaliação no campo da assistência farmacêutica, através da análise dessas diferenças. Nós visitamos comunidades ribeirinhas e quilombolas, então é muito necessário que o Brasil entenda que existem essas diferenças, e que os custos [de medicamentos] são diferentes. Comprar uma dipirona em São Paulo, é um valor, e essa mesma dipirona que é uma tabela única no Brasil, para chegar aqui em Óbidos, por exemplo, esse custo é aumentado, mas só que no final das contas esse custo não é observado”, explicou o responsável pela pesquisa em Óbidos, Wilson Sabino, professor da Ufopa.
Pesquisa
Os dados serão coletados por meio de entrevistas direcionadas à informantes-chave: gestores, profissionais relacionados a AF e usuários dos serviços de saúde. As informações serão captadas por meio de visitas técnicas no município. Em Óbidos, os trabalhos começaram no último dia 22.
Dispensação de medicamentos para comunitários que passaram por consultas em comunidade ribeirinha de Óbidos
Comunicação PMO/Divulgação
Os dados secundários serão levantados a partir de banco de dados e documentos (portarias, relatórios, entre outros) da secretaria municipal de saúde. Os resultados serão analisados na perspectiva da influência do fator amazônico, ou seja, características sociais, econômicas e geográficas particulares da região amazônica, que interferem no acesso e uso racional dos medicamentos.
“Óbidos foi um dos municípios contemplados pra essa pesquisa. Estamos no último alinhamento para iniciar os trabalhos práticos dos pesquisadores em nosso município, que foi contemplado pela sua variedade étnico-racial e diferencial geográfico, inclusive, possuindo unidades de saúde em áreas de quilombo. A gente espera que a partir dessa pesquisa, o Brasil; o Ministério da Saúde, vejam o Norte com sua peculiaridade, onde o fator amazônico deve ser firmado e alicerçado em todas as políticas públicas, principalmente de saúde”, ressaltou a secretária adjunta de Saúde, Waldeni Amorim.
Amazônia+10
O projeto foi aprovado na iniciativa Amazônia+10 do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), lançada no ano de 2022, para apoiar a pesquisa e a inovação tecnológica na Amazônia Legal, promovendo a interação natureza sociedade e o desenvolvimento sustentável da região (AMAZONIA+10, 2023).
O estudo está sendo desenvolvido nos estados do Pará e Amazonas em parceria com as instituições: Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal do Oeste do Pará e Universidade Federal de Santa Catarina.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.