• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Rio Preto, Araçatuba, Birigui e Catanduva têm mais de 50 crianças sem abastecimento adequado de água


Dados divulgados pelo Censo 2022 mostram que cidades com mais de 100 mil habitantes da região têm crianças sem abastecimento adequado de água. Semae em Rio Preto (SP)
Reprodução/Tv Tem
Mais de 50 crianças das cidades de São José do Rio Preto (SP), Araçatuba (SP), Birigui (SP) e Catanduva (SP), todas com mais de 100 mil habitantes, encontram-se sem abastecimento adequado de água. Os dados são do Censo 2022, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
📲 Participe do canal do g1 Rio Preto e Araçatuba no WhatsApp
Das 52 crianças nesta situação, 41 estão em Rio Preto. Catanduva tem outras seis, enquanto Birigui tem quatro e Araçatuba tem uma.
Represa municipal em Rio Preto
André Modesto/TV TEM
De acordo com o levantamento, em Rio Preto, no grupo de zero a quatro anos, a principal forma de abastecimento de três crianças é por meio do carro-pipa. 13 se abastecem através das águas provenientes de rios, açudes, córregos, lagos e igarapés. Outras três conseguem acesso a água por outros meios.
No grupo de cinco a nove anos, a principal forma de abastecimento de seis crianças é pelo carro-pipa. 10 se abastecem através das águas provenientes de rios, açudes, córregos, lagos e igarapés. Outras seis conseguem acesso a água por outros meios.
Em Catanduva, duas crianças estão no grupo de zero a quatro anos e outras quatro estão na faixa de cinco a nove anos. Todas se abastecem por outros meios.
Birigui tem quatro crianças sem abastecimento adequado de água. Uma está na faixa dos zero a quatro anos, e outras três no grupo dos cinco a nove anos. Todas se abastecem por outros meios.
Já em Araçatuba, apenas uma criança foi classificada como sem abastecimento adequado de água. Na faixa de cinco a nove anos, a criança se abastece por carro-pipa, de acordo com o Censo.
O que são esgoto e abastecimento de água adequados?
O IBGE considerou os critérios do Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB) para classificação de quatro formas adequadas de abastecimento de água. Juntos, esses métodos abastecem 97% da população brasileira. Confira:
Rede geral de distribuição: 82,9% da população;
Poço profundo ou artesiano: 9%;
Poço raso, freático ou cacimba: 3,2%;
Fonte, nascente ou mina: 1,9%.
As outras formas de abastecimento, não adequadas, são:
Carro-pipa: 1,1%;
Água da chuva armazenada: 0,6%;
Rios, açudes, córregos, lagos e igarapés: 0,9%;
Outra: 0,6%.
Para a análise, foram considerados apenas os imóveis particulares e permanentes ocupados. Ou seja, casas desocupadas, improvisadas ou de moradia coletiva, como presídios, hotéis, pensões, asilos ou orfanatos, não entram na conta.
Em proporção
Proporcionalmente, os números são considerados baixos para os municípios da região. Rio Preto tem 53.380 crianças. Dessas, 0,08% estão sem abastecimento adequado de água.
Araçatuba tem 22.154 crianças. A proporção é de 0,1% de crianças sem abastecimento adequado de água. Já Birigui tem 13.626 crianças, com proporção de 0,03% de crianças sem abastecimento adequado de água. Por fim, Catanduva tem 12.561 crianças, com proporção de 0,05% de crianças sem abastecimento adequado de água.
Respostas
Rio Preto
Em Rio Preto, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Semae) afirmou que a cidade tem o melhor serviço de saneamento básico do Brasil, de acordo com o Instituto Trata Brasil, sendo a primeira a obter nota máxima em todos os quesitos analisados – incluindo o abastecimento de água e a coleta e o afastamento de esgoto.
O estudo é respaldado nos dados do Ministério das Cidades, por meio do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).
Em nota, o Semae diz que os números divulgados pelo Censo 2022 não condizem com a realidade do município, e que desconhece a metodologia empregada e, por consequência, como o Censo chegou aos dados divulgados.
“Ressaltamos que, no perímetro urbano, 100% dos imóveis têm acesso a água tratada e ao esgoto devidamente coletado e tratado na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Rio Preto. Além disso, a autarquia trata o esgoto coletado inclusive de propriedades da zona rural. O Semae faz constantes investimentos para manter a excelência dos serviços prestados e acompanhar o crescimento demográfico da cidade”, diz a nota.
Araçatuba
Em Araçatuba, a GS Inima Samar, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto da cidade, diz que o município tem 100% de abastecimento de água para a população e 98,9% de recolhimento de esgoto, sendo 100% tratado.
Os números são oficiais, fornecidos anualmente ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) do governo federal.
“Não temos imóveis sem abastecimento de água em Araçatuba. Os números do último Censo do IBGE também confirmam esses dados quando consultados por cidade. Nos detalhes por residência, há uma pequena diferença – 97,31% de água e 97,4% de esgoto – porque o Censo pesquisa também a zona rural, onde não existe saneamento de água e esgoto”, diz a nota.
Procuradas, a Prefeitura de Birigui e a Superintendência de Água e Esgoto (Saec) de Catanduva não responderam ao questionamento até a publicação desta reportagem.
Veja mais notícias da região no g1 Rio Preto e Araçatuba
VÍDEOS: confira as reportagens da TV TEM

Adicionar aos favoritos o Link permanente.