Famílias denunciam falta de medicamentos oferecidos pela Santa Casa, em Belém

Segundo pacientes, remédios somam mais de R$ 1 mil reais e estão em falta há pelo menos 5 meses. Pacientes da Santa Casa denunciam falta de medicação há vários meses
Familiares de crianças atendidas pela rede pública de saúde Santa Casa, em Belém, no Pará, denunciam a falta de medicamentos há pelo menos cinco meses, dificultando tratamentos e colocando em risco a vida dos pacientes.
Dentre as reclamações levantadas, estão o custo dos remédios que são muito altos, ultrapassando mais de R$ 1 mil. Segundo as famílias, esse é um valor que não possuem para manter para o tratamento dos filhos.
Alguns dos pacientes que antes recebiam a medicação frequente, estão passando pelo processo de transplante de órgão, por isso, a urgência no recebimento para evitar rejeição do novo órgão. A mãe de um dos transplantados conta a dificuldade desse processo.
“Essa medicação é essencial para manutenção do transplante, sem ela o João perde o órgão que recebeu e precisaria voltar para máquina”, relatou Elayne Melo.
Para o tratamento de João, a família conta com oito remédios diferentes, todos recebidos pela Santa Casa, mas desde novembro de 2022 estão em falta. A mãe descreve que já precisou arcar com esse custo com medo do filho morrer.
“Já tiveram meses que a gente comprou no cartão de crédito e também já conseguimos algumas doações”, detalhou.
Outra paciente que aguarda pela medicação é uma menina que possui dificuldades no desenvolvimento dos ossos e precisa de um hormônio que estimula o crescimento. A mãe liga todos os dias para a instituição, na esperança de informarem sobre a chegada dos remédios, mas até o momento sem sucesso.
“Eu me sinto muito triste porque sem a medicação eu não vou crescer e não vou poder ajudar minha mãe”, desabafou a menina.
A TV Liberal entrou em contato com a Santa Casa e com o Ministério da Saúde para um posicionamento sobre a chegada e distribuição desses medicamentos. Até a publicação desta matéria não obtivemos nenhum retorno.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.