Homem é preso três meses depois de agredir ex-esposa com socos e chutes em clínica de Ibiporã; VÍDEO

Caso aconteceu em janeiro, e mandado de prisão foi expedido em abril. Agressão ocorreu na frente do filho do casal. Suspeito ainda não tem advogado habilitado no processo. Mulher é agredida pelo ex-marido em Ibiporã
Três meses depois de agredir a socos e chutes a ex-esposa na clínica onde ela trabalhava, em Ibiporã, norte do Paraná, Roberto Aparecido Pacheco, 58 anos, foi preso pela Polícia Militar (PM). Veja o vídeo acima.
Pacheco ainda não tem advogado habilitado no processo.
As agressões foram filmadas por câmeras de segurança e aconteceram na frente do filho do casal.
Nas imagens, o homem aparece dando socos e chutando a mulher nos corredores e na recepção do estabelecimento. A criança tenta intervir, mas sem sucesso.
Segundo o delegado Vitor Dutra, a vítima tinha uma medida protetiva desde 2019 contra o ex-marido, ano em que teria sido agredida pela primeira vez.
De acordo com a polícia, a mulher foi agredida em 9 de janeiro. No dia 20 do mesmo mês, o delegado informou que pediu a prisão do suspeito à Justiça, o que só aconteceu três meses depois. Procurado pelo g1, o promotor Thiago Cava, que atua no caso, explicou que só recebeu da juíza Camila Covolo de Carvalho o pedido de prisão para parecer em 8 de março. No dia 14, ele manifestou-se favoravelmente à detenção de Pacheco.
Conforme o promotor, a decisão que decretou a prisão saiu em 27 de março, e somente no dia 10 de abril o mandado efetivamente teria sido expedido.
CICLO DA VIOLÊNCIA: saiba como identificar
O g1 aguarda retorno da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR).
Medo constante
Em entrevista à RPC, a mulher agredida, que preferiu não revelar o nome, contou que vinha sofrendo ameaças do ex-marido há algum tempo.
“Eu não tenho paz. Eu me separei dele e eu não consigo ter vida”, contou.
No dia das agressões, a vítima diz que o ex-companheiro tentou contato várias vezes com ela, que não quis atendê-lo. Enfurecido, ele foi até à clínica.
“Ele estava ligando desde cedo na clínica. E eu falei para a recepcionista não passar o telefone pra mim. Aí, ele começou a ameaçar a recepcionista. Falando que ia lá e ia quebrar tudo, se não passasse o telefone para mim”, contou.
Mais assistidos do g1 PR
Leia mais em g1 Norte e Noroeste.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.