Revisão do Plano Diretor de Arujá causa preocupação em moradores que vivem em área verde da cidade


Moradores do Residencial Jardim São Jorge Vertentes do Arujá defendem preservação da natureza e que local permaneça residencial. A Secretaria de Planejamento informou que a mudança do zoneamento do local não procede. Câmara Municipal recebe nesta quinta audiência pública de revisão do Plano Diretor. Câmara de Arujá faz 1ª audiência pública para revisão e discussão do plano diretor
A Câmara de Arujá realiza, nesta quinta-feira (13), a primeira audiência pública para a revisão e discussão do Plano Diretor, que orienta a ocupação do solo do município. Alguns moradores estão preocupados com possíveis mudanças numa área cheia de vida às margens da Rodovia Mogi-Dutra.
Quem mora no Residencial Jardim São Jorge Vertentes do Arujá acorda com um despertador natural todos os dias. A diversidade é incrível. As helicônias coloridas enfeitam as árvores. São flores nativas da Mata Atlântica. De acordo com os moradores, são cerca de 24 mil metros quadrados de puro verde.
“Aqui a gente tem Pau-brasil, Pau-viola, jacaré. A gente tem várias mudas, árvores que são da Mata Atlântica. Nós temos várias reservas, nascentes, áreas de APP. Então, a gente procura, na medida do possível, cuidar e preservar pra que aqui continue esse meio ambiente e essa natureza linda e maravilhosa, que temos aqui no pedacinho da Cidade Natureza, Arujá”, disse Rose Amaral, membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente de Arujá.
Residencial Jardim São Jorge Vertentes do Arujá é cercado por fauna e flora da Mata Atlântica
TV Diário/Reprodução
A reportagem do Diário TV fez pequena trilha aqui pelo local. Por lá, tem um riacho. O som da água das nascentes, que fica na região e flui para o rio Parateí e desagua na sub-bacia do rio Jaguari, acalma a mente.
O lugar é encantador e nem parece que fica perto das rodovias Mogi-Dutra e da Ayrton Senna. Mas um projeto de urbanização prevê mudanças por lá.
“Esse projeto é um Plano Diretor. Acontece em várias cidades, dependendo do número de população, ele se faz necessário. Pra que? Pra que as pessoas limitem, pra que aconteça algo referente ao progresso. Mas tem outras áreas que podem fazer esse progresso. Aqui nós temos nascentes, a bacia do Rio Jaguari, nós temos a nascente e o córrego que corre pra lá. Nós moradores, proprietários do Jardim São Jorge Vertentes do Arujá gostaríamos que aqui permanecesse residencial, estritamente residencial, sem desdobro e unifamiliar”, explicou Rose.
A área também indica que animais silvestres circulam por aqui e as placas pedem cuidado com a fauna e a flora. O espaço é preservado pelos moradores.
Nesta quinta acontece a primeira audiência pública na Câmara para discutir a aprovação do projeto.
“Como é na Câmara, vai ser aberto ao público, é uma audiência pública, nós vamos mostrar o nosso manifesto, que aqui permaneça residencial. Vai ser um manifesto pacífico, educado, diplomático, mas que eles nos ouçam, tanto os vereadores, o nosso prefeito Luiz Camargo, os secretários”.
Existe vida em cada parte desse lugar. Uma espécie de flor encontrada no local é a justícia, um nome que faz alusão ao sentimento dos moradores.
“Porque na lei, toda área que tem água, mananciais, como nós temos lá na frente, são áreas de preservação. Não precisa nem dizer. Nós temos aqui todas as árvores que foram plantadas, 2 mil, tudo da Mata Atlântica. Então, aqui eu não sei porquê, se tem tantos lugares que é tudo descampado. Por que aqui?”, analisou a artista plástica Sônia Vasques, que mora no bairro.
Placa conscientiza população a cuidar e preservar a natureza do Residencial Jardim São Jorge Vertentes do Arujá
TV Diário/Reprodução
A Secretaria de Planejamento de Arujá informou que a informação de mudança do zoneamento do local não procede, porque, neste momento, o que está em revisão e hoje vai ser discutido é o macrozoneamento.
Todos podem participar da audiência pública sobre o Plano Diretor de Arujá, que está marcada na Câmara Municipal de Arujá, na Rua Rodrigues Alves, 51, no Jardim Albino Neves, hoje, a partir das 18h30.
Assista a mais notícias sobre o Alto Tietê

Adicionar aos favoritos o Link permanente.