Sobe para 67 o número de cidades em situação de emergência por conta das chuvas no Maranhão


Lista foi atualizada, nesta quinta-feira (13), pelo Governo do Estado. Mais de 8 mil famílias estão desabrigadas ou desalojadas no Maranhão. Áreas atingidas pelas chuvas no Maranhão
Reprodução/ TV Globo
Subiu para 67 o número de cidades que já decretaram situação de emergência devido às fortes chuvas que atingem o Maranhão, segundo o Governo do Estado, nesta quinta-feira (13). Até o momento, seis mortes foram confirmadas e das 38.476 famílias afetadas, 8.099 estão desabrigadas e desalojadas.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
O poder público decreta situação de emergência para reconhecer, de forma legal, uma situação anormal provocada por desastres, que podem causar danos superáveis ou suportáveis pela comunidade que foi afetada.
Na quarta-feira (12), o Governo Federal já havia reconhecido a situação de emergência em mais 14 cidades do Maranhão atingidas pelas fortes chuvas. Com o reconhecimento, os municípios podem solicitar recursos federais para ações de defesa civil.
Ao g1, a Defesa Civil do Maranhão diz que segue monitorando os episódios em que prejuízos e danos foram causados à população por conta do período chuvoso.
De acordo com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes), os restaurantes populares dos municípios atingidos vão ampliar a oferta de refeições no modelo híbrido (distribuição de quentinhas). Até o momento, 200 mil refeições foram entregues.
LEIA MAIS
‘Se tivesse outra casa, não estaria nessa situação’, desabrigado pelas chuvas no Maranhão conta os dias para recomeçar
Famílias se recusam a sair de abrigo sem proteção contra chuva e com risco de incêndio no MA: ‘a gente não tem nada, só a vida’
Temporais no Maranhão: idoso de 86 anos se recusa a sair de casa em Presidente Juscelino: ‘Não vou agora’
Chuvas no Maranhão
De acordo com o Governo do Estado, os meses de março e abril registram elevados índices pluviométricos especialmente na parte norte do estado e Baixada Maranhense, diante disto, o agravamento das cheias ocorreu especialmente a partir dos primeiros dias do mês de março.
Muitos municípios maranhenses são cortados por importantes rios, responsáveis pelo abastecimento de água e sobrevivência de muitas famílias. Por isso, essas cidades tendem a ser mais sucessíveis a enchentes.
Diversos rios que cortam o estado foram afetados, ficando com nível acima do normal, tais como os rios Mearim, Munim, Itapecuru, Grajaú, Maracu, Pindaré e o extravasamento dos lagos de Penalva, Cajari e Viana.
O rio Pindaré, por exemplo, continua subindo e atualmente está com 14 metros e 26 centímetros. A situação expulsou famílias de casa. Pelo menos oito famílias estão abrigadas em uma escola e isso tem dificultado muito a vida dos moradores, principalmente quem reside na zona rural.
Veja, a lista completa, dos municípios em situação de emergência:
Açailândia
Afonso Cunha
Alto Alegre Do Pindaré
Arame
Arari
Bacabal
Barra do Corda
Barreirinhas
Boa Vista do Gurupi
Buriti
Buriticupu
Cajari
Cantanhede
Codó
Conceição do Lago-Açu
Coroatá
Esperantinópolis
Governador Nunes Freire
Graça Aranha
Grajaú
Icatu
Igarapé Grande
Itaipava do Grajaú
Itapecuru
Itinga do Maranhão
Jenipapo dos Vieiras
Joselândia
Lago da Pedra
Lago dos Rodrigues
Lagoa Grande do Maranhão
Marajá do Sena
Mirinzal
Monção
Nina Rodrigues
Olinda Nova do Maranhão
Paço do Lumiar
Pedreiras
Penalva
Pindaré-Mirim
Pinheiro
Poção de Pedras
Presidente Juscelino
Presidente Vargas
Raposa
Rosário
Santa Helena
Santa Inês
Santa Luzia
Santo Antônio dos Lopes
São Benedito do Rio Preto
São Bento
São João Batista
São João do Carú
São José de Ribamar
São Luís
São Luís Gonzaga
São Roberto
São Vicente Ferrer
Satubinha
Serrano
Trizidela do Vale
Tufilândia
Tuntum
Tutóia
Viana
Vitória do Mearim
Zé Doca

Adicionar aos favoritos o Link permanente.