Abertura de CPI termina em bate-boca e confusão na Câmara de Vereadores de Duque de Caxias

Confusão foi entre o vereador Maurício Guimarães Nascimento e o e atual secretário de Ciência e Tecnologia Eduardo Moreira da Silva. A abertura de uma CPI terminou em bate-boca e confusão no plenário da Câmara Municipal de Caxias, na Baixada Fluminense, na manhã desta quinta-feira (13).
A discussão foi entre o vereador Maurício Guimarães Nascimento (Republicanos) e o vereador afastado (PT) e atual secretário de Ciência e Tecnologia Eduardo Moreira da Silva. Políticos precisaram segurar os parlamentares para que eles não se agredissem.
Nascimento afirma que foi atacado verbalmente por Silva, com ofensas à sua religião, no momento em que lia o pedido de abertura da CPI.
“Estávamos fazendo a leitura de uma matéria que será apreciada, uma CPI, contra o Eduardo Moreira. Ele nunca veio à Câmara dos Vereadores após seu licenciamento, há dois anos. No plenário e de forma intimidatória começou a gritar contra a minha religião. Me chamou de ‘crente de merda’ e ‘cadê a paz do Senhor’. Eu não tenho sangue de barata e o único ser humano que passou na terra e não teve problemas foi Jesus”, disse Maurício Guimarães ao g1.
De acordo com o parlamentar, era necessária a assinatura de nove vereadores para a abertura da CPI. Mas19 parlamentares assinaram a petição e foi aberta a investigação.
Segundo Maurício, ele vai registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) por intolerância religiosa e vai protocolar uma notícia-crime no Conselho de Ética da Câmara de Vereadores para que o seu colega seja afastado das funções por 180 dias.
O g1 tenta falar com o secretário de Ciência e Tecnologia de Caxias.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.