Professor suspeito de pedofilia contra alunas em Lucas do Rio Verde é exonerado


Os abusos, conforme relato das crianças, ocorriam no momento em que elas entregavam as tarefas ou iam tirar dúvidas com o suspeito. Professor foi preso em março deste ano. Delegacia de Lucas do Rio Verde
Prefeitura de Lucas do Rio Verde
A Prefeitura de Lucas do Rio Verde publicou, nesta quarta-feira (12), a exoneração do professor, que não teve a identidade divulgada, preso por suspeita de pedofilia contra três alunas de 8 anos em uma escola municipal de Lucas do Rio Verde, no norte do estado. Segundo relato das crianças, os abusos ocorriam no momento em que elas entregavam as tarefas ou iam tirar dúvidas com o homem.
De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, o professor foi afastado das atividades em sala de aula assim que os abusos foram denunciados.
Ainda de segundo a Secretaria, “foi instaurado um processo administrativo de estágio probatório e determinada antecipação da avaliação em virtude das denúncias”.
O professor havia sido empossado recentemente e estava em estágio probatório.
Investigações
Segundo a Polícia Civil, as investigações iniciaram por meio do Núcleo de Atendimento à Mulher da Delegacia, em meados de dezembro de 2022, quando uma aluna relatou aos pais o comportamento do professor, que passava a mão por dentro da roupa dela.
Após a denúncia, foi instaurado um auto de investigação preliminar e, durante os trabalhos, a delegacia recebeu denúncias sobre outras duas crianças que teriam sido vítimas dos abusos praticados pelo professor.
Nos três casos investigados, segundo a polícia, o suspeito agia com o mesmo modo de ação, praticando os abusos no momento em que esclarecia dúvidas das crianças, se posicionando em frente para as vítimas e de costas para os demais colegas, ocasião em que passava a mão pelo corpo das vítimas.
Diante da gravidade dos fatos e indícios de pedofilia, a delegada do Núcleo da Mulher, Ana Carolinne Mortoza Lacerda Terra, representou pelos mandados de prisão e busca e apreensão contra o suspeito, que foram deferidos pela Justiça e cumpridos nesta semana.
O celular e o notebook do suspeito também foram apreendidos.
Abuso nas escolas
Em março deste, um professor da Escola Estadual Diva Hugueney de Siqueira Bastos, em Cuiabá, foi afastado por suspeita de assédio sexual contra uma aluna. A secretaria informou que a Diretoria Regional de Educação da capital abriu um processo administrativo disciplinar para investigar a conduta do funcionário.
Em Cáceres, a 250 km da capital, outro professor também foi afastado, na sexta-feira (24), por suspeita de crime sexual contra alunos menores de idade. A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso da cidade informou que recebeu a denúncia e investiga o caso.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.