Galo da Madrugada vira Patrimônio Cultural Imaterial do Recife


Sancionada pelo prefeito João Campos (PSB), nova lei foi publicada no Diário Oficial desta quinta (13). Galo da Madrugada arrasta foliões pelo Recife
Ricardo Labastier/Titular Fotografia
Considerado o maior bloco de rua do mundo pelo Guiness Book, o Galo da Madrugada virou Patrimônio Cultural Imaterial do Recife. A lei que reconhece a importância da agremiação, que desfila aos Sábados de Zé Pereira, foi publicada no Diário Oficial da cidade, nesta quinta (13).
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
A Lei número 19.039 foi sancionada pelo prefeito João Campos (PSB). Em março deste ano, os parlamentares aprovaram o projeto, em duas votações, por unanimidade.
O projeto é do presidente do Legislativo municipal, Romerinho jatobá (PSB). Ao g1, o parlamentar explicou que a ideia é “reconhecer a importância cultural do bloco na história da capital pernambucana”.
“O Galo representa muito a nossa cidade. É uma oportunidade de vender o Recife para o mundo inteiro como cidade turística. Também gera renda, emprego e é um movimento que representa parte da nossa cultura popular”, disse Romerinho.
O g1 procurou a diretoria do Galo da Madrugada para comentar a nova condecoração, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.
Galo patrimônio de Pernambuco
O Clube de Máscaras galo da Madrugada desfilou pela primeira vez em 1978, com cerca de 75 pessoas, segundo a descrição publicada no site oficial.
Em 1994 o Galo da Madrugada entrou para o Guinness Book como o maior bloco carnavalesco do mundo. Em 2009, o clube de máscaras foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco.
A lei de nº 928/2009, de autoria da Assembleia Legislativa, foi assinada pelo então governador Eduardo Campos (PSB).
Segundo os organizadores, a agremiação chegou a reunir mais de dois milhões de foliões, em 2017, durante o desfile de aniversário de 40 anos.
VÍDEOS: mais vistos de Pernambuco nos últimos 7 dias

Adicionar aos favoritos o Link permanente.