Conselho Regional de Nutricionistas abre procedimento para investigar conduta de mulher que agrediu entregadores no Rio


Órgão quer saber se a postura de Sandra de Sá é compatível com o Código de Ética da carreira de nutricionista. Uma reunião extraordinária será marcada para analisar a questão. Sandra Mathias Correia de Sá
Reprodução
A Comissão de Ética do Conselho Regional de Nutricionistas da 4ª Região (CRN-4) abriu um procedimento para investigar a postura da nutricionista Sandra Mathias Correia de Sá, que foi flagrada agredindo e xingando entregadores em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Em um vídeo, ela pega a guia da coleira do cachorro e bate nas costas de Max Angelo dos Santos.
A comissão quer saber se a postura de Sandra é compatível com o Código de Ética da carreira de nutricionista. Um reunião extraordinária será marcada para analisar a questão.
De acordo com o conselho, que é responsável pelos profissionais do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, outros detalhes não serão divulgados para preservar a privacidade do processo e da profissional. A comissão destaca ainda que Sandra ainda terá a chance de se defender.
O CRN-4 é uma autarquia federal, com poder delegado pela União, para regulamentar, orientar, fiscalizar e disciplinar o exercício da profissão de nutricionistas e técnicos em nutrição e dietética. Ele integra o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN).
Na última terça-feira (11) o conselho divulgou uma nota de repúdio sobre o caso, afirmando que a categoria não aceita qualquer forma de preconceito, discriminação e violação aos direitos humanos.
“O Nutricionista como profissional de saúde é norteado por um Código de Ética e Conduta e deve assumir compromisso e responsabilidade técnica, social, ética e política na defesa do direito à saúde e demais direitos constitucionais. O CRN-4 se compromete e convoca os profissionais e a sociedade para se engajarem na luta antirracista em sua prática cotidiana”, diz um trecho da nota.
Mulher xinga e agride entregador com coleira no Rio
Reprodução/TV Globo
Depoimento adiado
Previsto para esta quarta (12), o depoimento de Sandra Mathias foi adiado. A defesa da ex-atleta, que além de ser flagrada usando a guia de coleira para bater, também mordeu uma entregadora e intimidou uma lojista, apresentou um atestado alegando que ela tem “várias lesões.”
A delegada Bianca Lima, titular da distrital, disse ainda não haver nova data para que Sandra preste depoimento.
A Prefeitura do Rio suspendeu o funcionamento da escolinha de vôlei da qual Sandra é sócia.
“A licença venceu em dezembro de 2022 e estava em processo de renovação. Diante do ocorrido, a prefeitura não concederá a renovação até que todos os fatos sejam esclarecidos pela Justiça”, informou.
Quem é Sandra
Sandra Mathias Correia de Sá é ex-atleta profissional de vôlei de praia e dona de uma escolinha do esporte na Praia do Leblon.
Ela já tem outras passagens na polícia:
em 2007, foi acusada de lesão corporal;
em 2012, por injúria e ameaça;
em 2021, por furto de energia na Praia do Leblon, onde tem a escola de vôlei;
Sandra responde a um inquérito na Polícia Federal por fraude em licitação.
Sandra tem 53 anos e iniciou sua carreira no esporte em 1982, praticando vôlei de quadra no Flamengo, nos times mirim e juvenil.
Em 1993, Sandra foi para o vôlei de praia. Segundo sua biografia, ela “conquistou inúmeras vitórias”. Em 2001, Sandra se uniu com Elaine Bezerra, com quem conseguiu bons resultados no circuito nacional de vôlei de praia até 2009. Elaine também virou sócia na escola de vôlei de praia no Leblon.
Sandra também trabalhou como nutricionista em clínicas no Rio de Janeiro e diz ter sido supervisora de produção do Comitê Olímpico do Brasil (COB), entre outubro e novembro de 2022. Por meio de nota, o COB negou que ela tenha trabalhado em qualquer função.
Sandra Mathias, mulher que agrediu entregadores no Rio
Reprodução
O incidente de domingo
Todas as agressões ocorreram na Estrada da Gávea, em frente a uma base de uma plataforma de entrega. O prédio de Sandra fica na mesma calçada. Há um posto de gasolina e uma saída do metrô nas proximidades.
Max conta que na terça-feira passada (4) Sandra já tinha xingado os profissionais porque eles estariam trafegando pela calçada.
No domingo, ao passear com um cachorro, Sandra primeiro cospe na direção dos motoboys. Na volta, começa a discutir com a entregadora Viviane Maria de Souza.
Sandra parte para as agressões e morde a perna de Viviane. A entregadora não revida e tenta se desvencilhar de Sandra, agarrando-se a uma grade.
“Ela me xingou de lixo, de favela, de um monte de coisa. Nome feio… E chamando para briga, e eu não queria brigar. Eu falei: ‘Eu não quero brigar, eu vou correr, sim, porque eu não quero brigar’. Porque, se eu fosse a mais, eu ia acabar machucando ela”, narrou a profissional.
Viviane consegue escapar, e Sandra passa a mirar em Max. Ela puxa a camisa dele e acerta um soco na cabeça. Ele momentaneamente se afasta. Sandra solta a guia da coleira do cachorro e avança contra Max, chicoteando-o. Ele se esquiva de um golpe, mas acaba ferido.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.