Imagem de São Francisco atribuída a Aleijadinho retorna à igreja de Cipotânea; saiba como visitá-la


A escultura estava em processo de reparação desde 2016. Iniciativa envolve participação do Ministério Público, UFMG e Iepha-MG. São Francisco da Penitência
Cláudio Nadalin/Cecor
Após ser totalmente restaurada, a peça sacra de São Francisco da Penitência está de volta à Igreja Matriz de São Caetano, no município de Cipotânea, na Zona da Mata mineira. Em estudos, a cabeça da obra foi atribuída a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
A escultura estava em processo de reparação desde 2016. Antes, era mantida guardada em uma sala no subsolo da casa paroquial da paróquia e foi levada para o Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais (Cecor), da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais.
De acordo com a paróquia, a imagem, feita em madeira policromada, com 127 cm de altura e aproximadamente 16 kg, ficará exposta na Igreja Matriz de São Caetano, todos os dias, das 8h às 19h.
A cerimônia de entrega, seguida de missa, foi realizada quarta-feira (19) e contou com a presença de fiéis e diversas autoridades.
“Muitos já achavam que ela não retornaria mais. O retorno dessa imagem à Cipotânea é motivo de grande esperança. É uma imagem de devoção popular e esse tempo de ausência dela, entre os cidadãos, causou também uma ausência nos corações”, disse o padre Adelson Laurindo Sampaio
“São Francisco tem grande apelo no meio rural, pois é o santo protetor dos animais, da simplicidade, da humildade e aqui ele encontra um grande carinho por parte do povo”.
A obra
A peça foi escolhida para a restauração devido à possibilidade de atribuição a Aleijadinho – não há nenhuma documentação sobre origem e autoria.
O escultor é o principal artista do período colonial brasileiro muito estudado por especialistas e reconhecido pelo público em geral, nacional e internacionalmente.
Imagem de São Francisco de Assis antes e depois da restauração
Cláudio Nadalin/Cecor
Os pesquisadores compararam as características da imagem de São Francisco de Assis com obras documentadas de Aleijadinho.
Também foram considerados documentos que comprovam que o artista esteve em Rio Espera de 1790 a, possivelmente, 1792, trabalhando no retábulo da Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto – a cidade de Rio Espera já foi responsável administrativamente por Cipotânea.
Imagem de São Francisco de Assis antes e depois da restauração no Cecor/ UFMG
MPMG/Divulgação
Projeto Extramuros
A restauração da imagem foi realizada como parte do Projeto Extramuros, viabilizado por meio de convênio entre Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG), Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e Universidade Federal de Juiz de Fora (UFMG).
Os repasses para os trabalhos foram a partir de recursos obtidos em medida compensatória de Termo de Ajustamento de Conduta com empreendimento minerário.
Além de Cipotânea, o projeto restaurou 24 obras de cidades mineiras: Chapada do Norte, Januária, Jequitibá, Brejo do Amparo, Santo Antônio de Pirapetinga, Santo Antônio do Norte, Conceição do Mato Dentro, Couto Magalhães e Piranga.
LEIA TAMBÉM:
EXTRAMUROS: Escultura de São Francisco de Assis atribuída a Aleijadinho é entregue à comunidade de MG após restauração
SÃO JOÃO DEL REI: Família de universitário paga R$ 35 mil para restaurar escultura de Aleijadinho que ele depredou
SANTANA MESTRA: Obra de Aleijadinho do século XVIII é restaurada e volta a ser exposta após 15 anos
📲 Confira as últimas notícias do g1 Zona da Mata
📲 Acompanhe o g1 no Facebook e Instagram
📲 Receba notícias do g1 no WhatsApp e no Telegram
VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campos das Vertentes

Adicionar aos favoritos o Link permanente.