Inscrições dos blocos de carnaval para os desfiles de 2024 serão abertas em maio, diz Riotur


Os organizadores dos blocos de rua reclamaram em 2023 da falta de tempo para cumprir as etapas burocráticas para a liberação dos desfiles. Anúncio da Riotur ocorreu durante a primeira reunião do Grupo de Trabalho formado pela Câmara de Vereadores do Rio sobre a regulamentação da festa. Bloco Quizomba
Gustavo Stephan/Riotur
A Riotur, empresa pública que cuida da organização do carnaval de rua no Rio de Janeiro, anunciou na última terça-feira (11) que as inscrições para os blocos que pretendem desfilar em 2024 serão antecipadas.
De acordo com o anúncio feito durante a reunião do grupo de trabalho formado pela Câmara de Vereadores do Rio sobre a regulamentação da festa, o sistema para cadastro será aberto até o final do mês de maio.
“Foi importante nesta reunião a informação de que a partir de maio já se abre o credenciamento dos blocos. Já está bem antecipado, para que não ocorram problemas que aconteceram no carnaval deste ano, que ficou muito em cima da hora para que os blocos pudessem apresentar seus documentos”, afirmou o vereador Carlo Caiado, presidente da Câmara de Vereadores e presente na reunião.
O objetivo do grupo de trabalho é debater a criação do Marco Civil do Carnaval de Rua do Rio de Janeiro. A reunião desta terça-feira contou com a participação de representantes de diferentes órgãos envolvidos com a festa, como Corpo de Bombeiros e Secretaria de Ordem Pública, por exemplo, além de representantes dos blocos de carnaval.
Presidente da Comissão Especial de Carnaval, a vereadora Mônica Benício (Psol) defendeu a importância da aprovação de um projeto que crie o chamado Marco Civil do carnaval de rua, estabelecendo regras fixas para a organização da festa, com procedimentos que facilitem e desburocratizem o evento.
“É um esforço de todos esses fazedores de carnaval se unindo, para a gente chegar a um texto sobre o Marco do Carnaval e ter isso como uma política de Estado, que fique como um legado para a cidade” afirmou Benício.
Blocos do Rio cobram desburocratização
Uma das principais reclamações dos organizadores de blocos do Rio era em relação a burocracia para a liberação dos desfiles.
Entre os problemas apontados pelos representantes dos blocos está o grande número de documentos que deveriam ser entregues em diferentes órgãos públicos, segundo os representantes, em um prazo muito apertado. Para os organizadores, a burocracia desanima quem pensa em desenvolver a cultura do carnaval de rua.
Logo após o fim do carnaval desse ano, alguns representantes estavam revoltados com os problemas e a falta de tempo para atender todas as exigências das autoridades municipais e estaduais.
“Tem que mudar tudo. Não dá mais pra ser como é. Para que dê certo e seja bom para todas as partes, a gente vai ter que desburocratizar. Ou então vamos todos para a clandestinidade”, comentou no início de março Rita Fernandes, responsável por 14 blocos que desfilam na Zona Sul e no Centro.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.