• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Mato Grosso do Sul decreta situação de emergência por causa dos incêndios no Pantanal


A medida facilita o envio de dinheiro e esforços a municípios afetados. O governo de Mato Grosso do Sul decretou situação de emergência por causa dos incêndios no Pantanal.
A cada viagem, o helicóptero capta mais de 800 litros de água no rio. O Pantanal, em Mato Grosso do Sul, está queimando há quase um mês. Por terra, brigadistas e militares se esforçam para combater os focos com sopradores.
Em 2024, a vazão do Rio Paraguai está abaixo do normal e não inundou a área de baía perto da Serra do Amolar. Os peixes não resistiram à seca.
De janeiro até 22 de junho, o fogo destruiu mais de 600 mil hectares, 136% mais que no mesmo período de 2020 – até hoje considerado o ano da maior tragédia ambiental no Pantanal com quase 4 milhões de hectares devastados. O decreto de emergência de 2024 vale por 180 dias.
“Com a situação de emergência publicada, ela deixa de lado a parte das licitações, a parte burocrática, e a resposta se torna imediata”, diz o coronel Hugo Djan Leite, coordenador da Defesa Civil/MS.
Parte do reforço anunciado pelo governo federal chegou no fim de semana e já está ajudando no combate às chamas. Dois aviões do ICMBio e um helicóptero do Ibama para transporte de brigadistas
“Esse reforço vai servir, também, para a gente poder dar um descanso para não exaurir o brigadista. Com esse novo reforço, a gente vai poder distribuir a brigada, dar melhores condições para que eles possam fazer um trabalho no restante da temporada”, afirma Márcio Yule, coordenador do Prevfogo – MS.
Mato Grosso do Sul decreta situação de emergência por causa dos incêndios no Pantanal
Jornal Nacional/ Reprodução
Outros cinco helicópteros, dois aviões e 60 brigadistas da Força Nacional devem chegar esta semana. O efetivo federal está sendo integrado ao Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul. Atende ocorrências repassadas pelo Sistema de Comando de Incidentes, que é do estado. A estratégia foi adotada para melhorar o tempo de resposta e o tornar o trabalho de combate ao fogo mais eficiente.
“Otimizando esses recursos de forma que os recursos que estão disponíveis, eles são encaminhados de forma a otimizar e minimizar essas dificuldades do terreno e das condições climáticas extremas desfavoráveis”, diz o capitão Silvanei Barbosa, do Corpo de Bombeiros/MS.
O grupo montado pelo governo federal para monitorar os incêndios no Pantanal se reuniu nesta segunda-feira (24) em Brasília. A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou que o fogo está sendo provocado pela mão do homem e pediu consciência das pessoas.
O Ministério do Planejamento antecipou R$ 100 milhões do Orçamento para o Ibama e o ICMBio.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.