• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

IML tenta localizar parentes de homem não identificado em Rio Branco há nove dias


Homem passou um mês internado no pronto-socorro de Rio Branco, desacordado por conta de um traumatismo craniano. Segundo o IML, trata-se de um homem moreno, de cabelos negros, com aproximadamente 40 anos. IML de Rio Branco
Eldérico Silva/Rede Amazônica
O Instituto Médico Legal de Rio Branco (IML) está tentando identificar mais um corpo não reclamado que está no local há nove dias. Ele foi encontrado desacordado, e a causa da morte foi traumatismo craniano, segundo o IML.
Leia mais
IML busca parentes de homem que morreu carbonizado após tentar atear fogo à própria casa no Acre
O homem passou um mês internado no pronto-socorro da capital acreana, e ninguém compareceu à unidade de saúde em busca dele. Após mais de uma semana no IML, familiares ainda não compareceram para reclamar o corpo.
De acordo com o IML, trata-se de um homem moreno, de estatura mediana, com cabelos negros, curtos, com idade aproximada de 40 anos.
Após a chegada do cadáver, o IML tem 15 dias para que seja reclamado. Antes do fim do prazo, o instituto tem a obrigação de divulgar o caso como mais uma tentativa para que familiares ou representantes legais entrem em contato para retirar o corpo.
Caso isso não ocorra, o instituto precisa seguir com os procedimentos para sepultamento e registro em cartório para emissão de certidão de óbito. Parentes que identificarem a vítima, podem comparecer à sede da polícia científica na Avenida Antônio da Rocha Viana, nº 1248, bairro Bosque. É preciso apresentar documentos que comprovem parentesco, como RG da vítima e do parente.
Busca anterior
Francisco Paulino Nogueira, natural de Plácido de Castro, tinha 41 anos, foi encaminhado ao IML encaminhado pelo PS de Rio Branco
Arquivo pessoal
O Instituto Médico Legal (IML) de Rio Branco estava em busca de parentes de um homem que morreu carbonizado após atear fogo à própria casa. Francisco Paulino Nogueira, natural de Plácido de Castro, tinha 41 anos e morreu carbonizado no pronto-socorro de Rio Branco no dia 26 de março.
Apesar do corpo ter sido identificado e todos os dados necessários do homem terem sido encontrados, ninguém apareceu para reclamar o corpo até o sepultamento feito pelo IML.
Porém, de acordo com o instituto, no mesmo dia em que Nogueira foi enterrado, uma irmã dele compareceu à sede da instituição. Agora, a parente tenta obter a certidão de óbito dele por meio de ação junto à Defensoria Pública Estadual.
VÍDEOS: g1

Adicionar aos favoritos o Link permanente.