• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Aviões americanos lançam remessa de ajuda humanitária para os palestinos na Faixa de Gaza


Distribuição americana foi coordenada com a Jordânia. Faixa de Gaza
TV Globo
Aviões americanos lançaram neste sábado (2) do ar uma remessa de ajuda humanitária para os palestinos na Faixa de Gaza.
A carga com 38 mil refeições foi lançada por aviões militares dos Estados Unidos sobre a Faixa de Gaza, na costa do mar mediterrâneo.
A passagem dos aviões foi registrada por uma pessoa, da praia, onde muita gente se concentrava na areia. França, Egito e Jordânia também já fizeram lançamentos aéreos de alimentos. A distribuição americana foi coordenada com a Jordânia e teve apoio de Israel.
Este homem mostrava o pacote que conseguiu pegar na cidade de Gaza. Este outro diz que o que chega pelo ar não é suficiente para alimentar uma família.
Segundo as nações unidas, mais de 570 mil pessoas em Gaza estão passando fome. É um quarto da população.
Na quinta-feira (29), dezenas de palestinos morreram, em uma distribuição de ajuda humanitária, no norte de gaza. O grupo terrorista Hamas acusa Israel de atirar contra civis.
E o exército israelense diz que as pessoas morreram pisoteadas ou atropeladas, depois que soldados dispararam tiros de alerta.
Hoje, observadores da ONU afirmaram que encontraram muitas pessoas com ferimentos de bala.
Um novo ataque aéreo de Israel teria matado 10 pessoas e ferido 50, na cidade de Rafah. Os números são do ministério da saúde do Hamas.
Fontes do governo Biden afirmaram que Israel concordou com um plano de cessar-fogo, de seis semanas, que possibilitaria a entrada de comboios com ajuda humanitária.
A condição é que o Hamas liberte reféns israelenses mantidos em gaza, considerados vulneráveis, como idosos, doentes, feridos e mulheres.
As negociações mediadas pelo Egito e pelo Catar devem ser retomadas, no domingo (3), no Cairo.
O presidente Joe Biden disse esta semana que o governo americano está trabalhando para um cessar-fogo antes de dez de março, quando começa o Ramadã, mês sagrado dos muçulmanos.
Milhares de israelenses completaram a marcha que começou na quarta-feira (28), em um Kibbutz atacado pelo Hamas em outubro de 2023.
Depois de passagem por Tel Aviv, os manifestantes chegaram no início da noite chegaram a Jerusalém.
Eles protestam contra a maneira como o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu enfrenta a guerra, e pedem prioridade para a libertação imediata dos reféns.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.