• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Mais de 400 escolas públicas de Roraima participam de mobilização nacional contra a dengue


Serão 20 semanas de atividades e engajamento das comunidades escolares. Até o dia 15 de fevereiro, Roraima contabilizou 113 casos prováveis de dengue. Aedes aegypti é reconhecido por sua coloração escura com listras brancas ao longo do corpo e pernas; ele é menor que outros mosquitos comuns e é diurno
GETTY IMAGES via BBC
O governo federal iniciou uma campanha de conscientização sobre o aumento de casos de dengue no Brasil em escolas públicas de todo o país. Em Roraima, 440 unidades de ensino devem integrar o projeto unidos contra a dengue.
A campanha foi lançada na última quarta-feira (21) e faz parte da retomada do Programa Saúde na Escola, uma parceria entre os ministérios da Saúde e da Educação.
Serão 20 semanas de atividades e engajamento das comunidades escolares. No âmbito do programa, 25 milhões de estudantes serão orientados em mais de 102 mil instituições públicas de ensino.
Até o dia 15 de fevereiro, Roraima contabilizou 113 casos prováveis de dengue. “Comparado a outras unidades da federação, o Estado encontra-se com número de casos dentro do esperado. No entanto, é preciso estar em alerta para a doença”, informou a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).
Especificamente para a mobilização Brasil unido contra a dengue: combate ao mosquito nas escolas, ao longo dos próximos meses, as escolas vão realizar atividades lúdicas para sensibilização, com gincanas, teatros educativos, oficinas criativas, palestras, murais da prevenção e concursos para engajar crianças, adolescentes e jovens no combate à dengue.
Adicionalmente, o programa vai divulgar guias educativos, podcasts, vídeos com participação das comunidades escolares e lives com especialistas para convocar toda a população no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti.
Segundo o 3º Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) e o Levantamento de Índice Amostral (LIA) do Ministério da Saúde, 75% dos criadouros do mosquito da dengue estão nos domicílios, como em vasos e pratos de plantas, garrafas retornáveis, pingadeira, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais e materiais em depósitos de construção (sanitários estocados, canos e outros).
Na última semana, o Ministério da Saúde ampliou para R$ 1,5 bilhão os recursos reservados para apoiar estados, municípios e o Distrito Federal no enfrentamento de emergências, como a alta de casos de dengue no país.
O Ministério da Saúde reforça, no entanto, que a principal medida de prevenção é a eliminação dos criadouros do mosquito. Por isso, é importante receber os Agentes de Combate a Endemias e Agentes Comunitários de Saúde, que vão ajudar a encontrar e eliminar possíveis criadouros.
Vacina contra a dengue
Na quinta-feira (21), Roraima recebeu 20.670 doses de vacinas contra a dengue. Os imunizantes serão distribuídos entre 10 dos 15 municípios do estado.
Inicialmente, a vacina é destinada a crianças de 10 e 11 anos, mas há a expectativa de ampliar para o público com idades de 12 a 14 anos.
A Qdenga (TAK-003) é vacina contra a Dengue disponibilizada em todo o país pelo Ministério da Saúde. É um imunizante desenvolvido pelo laboratório japonês Takeda Pharma. O registro foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março de 2023.
A vacina contém vírus vivos atenuados da dengue. Por isso, ela induz respostas imunológicas contra os quatro sorotipos do vírus da dengue.
O imunizante é aplicado em um esquema de duas doses, com intervalo de três meses entre as aplicações.
Leia outras notícias do estado no g1 Roraima.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.