Diretor de abrigo acredita que curto-circuito causou incêndio; ‘É uma dor profunda, rasgando o coração’, diz


Três crianças e cuidadora morreram no lar Paulo e Tarso, no Ipsep, na Zona Sul do Recife. Geszler Carlos Wester é diretor do Lar Paulo de Tarso, atingido por incêndio no bairro do Ipsep, Zona Sul do Recife
Pedro Alves/g1
“São como filhos. É uma dor profunda, rasgando o coração. Mas também de uma fé em Deus inabalável. Se não fosse ela, eu não estaria aqui conversando com você”.
Esse é o sentimento de Geszler Carlos Wester, diretor administrativo do Lar Paulo de Tarso, onde um incêndio deixou quatro mortos, sendo três crianças e uma cuidadora, e 15 feridos. Ele acredita que um curto circuito provocou o fogo, na madrugada desta sexta (14), no Ipsep, Zona Sul do Recife.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
“A perícia vai ver qual foi a causa, mas, inicialmente, achamos que houve um curto-circuito na sala. Mas a casa está fechada e a perícia vai vir à tarde. Por enquanto, é apenas achismo”, disse.
As crianças tinham entre 2 e 11 anos. Segundo o diretor administrativo, são crianças em situação de risco social de alta complexidade.
Elas ficam no local temporariamente, por decisão da Justiça. O tribunal é quem decide se elas voltam para as famílias de onde foram tiradas, se têm a guarda concedida a outros parentes ou se entram em processo de adoção.
LEIA TAMBÉM
Vizinho ajudou a tirar nove pessoas de incêndio no Lar Paulo de Tarso
Cuidadora que morreu em incêndio trabalhava havia mais de 10 anos em abrigo
Segundo o diretor do abrigo, todas as noites, dormiam duas cuidadoras com as crianças. Há, na casa, dois quartos. Ele contou, ainda, que a relação com as vítimas sempre foi de muita proximidade, e que, apesar de estarem em uma instituição de acolhimento, elas são felizes.
“Essa semana, uma das crianças, de 11 anos, estava conversando comigo e eu falei ‘minha filha, quando você chegou aqui, não queria tirar foto e não sorria. O que foi que mudou na sua vida?’. Ela disse ‘tio Gel, é que eu aprendi aqui no lar que a vida é bela’. E apesar de toda essa catástrofe de hoje, dessa dor profunda, a vida é bela, nossa fé em Deus é inabalável e nós vamos, dentro do possível, continuar amando intensamente essas crianças”, disse.
O incêndio
O Corpo de Bombeiros afirma que foi acionado por volta das 4h20 para conter as chamas no Lar Paulo de Tarso, na Rua Jerônimo Heráclito. Onze equipes foram ao local.
Por volta das 6h, a corporação informou que o fogo estava totalmente controla. A causa oficial do incêndio não foi informada até a última atualização desta reportagem.
Segundo o balanço divulgado pelos bombeiros, um garoto e a cuidadora Margareth da Silva, de 62 anos, morreram no Lar Paulo de Tarso. Outras duas crianças, não identificadas, morreram a caminho do hospital.
Quinze pessoas foram levadas pelos bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para hospitais e unidades de saúde do Recife.
Oito deram entrada no Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central da cidade, e cinco foram atendidas no Hospital Geral de Areias, na Zona Oeste, sendo três meninos e duas meninas.
Outras vítimas também foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na Zona Sul. Duas crianças, em situação mais grave, foram levadas de lá para o HR.
VÍDEOS: mais vistos de Pernambuco nos últimos 7 dias

Adicionar aos favoritos o Link permanente.