Mulher é presa em Jundiaí com estimulante sexual proibido pela Anvisa conhecido com ‘melzinho do amor’


Apreensão ocorreu na Estação Ferroviária da cidade, na quarta-feira (13). Quase 170 sachês de produtos também foram apreendidos. Segundo a Polícia Civil, 168 sachês foram apreendidos
Polícia Civil – Divulgação
Uma mulher foi presa em Jundiaí (SP) na quarta-feira (12) com quase 170 sachês de estimulante sexual que, segundo a Polícia Civil, são proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O produto também é conhecido como “melzinho do amor”. A ação ocorreu após a polícia receber uma denúncia sobre a entrega dos estimulantes. 
Na Estação Ferroviária da cidade, os policiais localizaram a suspeita carregando uma sacola plástica e uma mochila. Ao abordar a mulher, os policias encontraram com ela 12 caixas, contendo 12 sachês do produto cada. Na mochila, foram localizados mais duas caixas contendo mais 12 saches cada, totalizando 168.
Ao ser questionada, a mulher informou aos policiais que realiza vendas de produtos eróticos e estimulantes, e que iria entregar o material a um cliente, o qual iria pagar a quantia de R$ 180,00 por caixa.  Ela disse ainda que os produtos foram adquiridos na cidade de São Paulo, de pessoa desconhecida.
A mulher recebeu voz de prisão após a confirmação de que o material, segundo a resolução número 2133, de 27 maio de 2021, da Anvisa, proíbe a comercialização, distribuição, fabricação, propaganda e uso do produto.
Conforme o Código Penal,  é crime vender ou, de qualquer forma, entregar a consumo coisa ou substância nociva à saúde, ainda que não destinada à alimentação ou a fim medicinal. A pena é de detenção, de um a três anos, além de multa.
O Polícia Civil lembra que “inúmeras são as matérias veiculadas recentemente acerca da nocividade do consumo do produto à saúde, justificativa inclusive para a proibição de seu comércio no país”.
A substância apreendida será encaminhada ao Instituto Criminalística para elaboração de laudo.
Após pagar fiança de R$ 1,3 mil, a mulher foi solta e deverá responder o processo em liberdade. 
“Melzinho do amor”
Na internet, é possível encontrar o produto da marca apreendida em Jundiaí com o “apelido” de “melzinho do amor”. O valor varia entre R$ 39 a R$ 267. O produto é apresentado como natural, afrodisíaco e com efeito ou duração de até cinco dias. 
Anvisa
Segundo o site da Anvisa, após denúncia recebida pelo instituição, foi instaurado dossiê de investigação sanitária sobre o produto. Após isso, em 27 de maio de 2021, uma resolução proibiu qualquer atividade envolvendo o estimulante em território nacional. 
Veja mais notícias da região em g1 Sorocaba e Jundiaí
VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM

Adicionar aos favoritos o Link permanente.