Justiça absolve jovem que matou mulher para vingar morte de mãe encontrada enterrada em quarto


Jurados absolveram o réu por “clemência”, ou seja, perdão pelo sentimento de pena ou dó. O jovem estava preso desde o ocorrido no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José do Rio Preto (SP), mas foi liberado após o término do julgamento. Corpo da vítima foi encontrado em cova aberta dentro de quarto
Arquivo pessoal
Por quatro votos a favor e um contrário, o Tribunal do Júri absolveu, nesta quarta-feira (13), o jovem, de 22 anos, que matou uma mulher com dois tiros na cabeça para vingar a morte da mãe, encontrada enterrada em um quarto, no dia 24 de agosto de 2022, em Nova Granada (SP).
Os jurados absolveram o réu por “clemência”, ou seja, perdão pelo sentimento de pena ou dó. O jovem estava preso desde o ocorrido no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José do Rio Preto (SP), mas foi liberado após o término do julgamento.
Conforme os advogados de defesa, Priscila Furlaneto e Diego Carretero, o réu foi denunciado por homicídio duplamente qualificado por matar Gislaine Torres de Oliveira, apontada como uma das responsáveis pela morte de sua mãe, Edilamar Aparecida Pires Miranda.
Ao g1, Priscila explicou que o jovem estava com o irmão, de 16 anos, quando atirou duas vezes em Gislaine, no dia 15 de setembro do ano passado, 46 dias depois do corpo de sua mãe ser encontrado pela avó em um quarto.
Arma utilizada pelo jovem de 22 anos para matar Gislaine foi apreendida em Nova Granada
Polícia Militar/Divulgação/Arquivo
Por conta do ocorrido, o adolescente está internado na Fundação Casa, onde cumpre medida socioeducativa por tempo indeterminado. Os advogados entraram com recurso para pedir a liberdade do menino, mas a Justiça negou.
“Nós devemos fazer um habeas corpus para que, com a absolvição do irmão, a gente consiga reverter essa decisão de internação”, explicou Priscila.
Ainda conforme Priscila, o ex-marido de Edilamar, considerado o principal suspeito de cometer o crime, segue está foragido.
O delegado Ericson Abufares, responsável pela investigação do caso, disse que concluiu o inquérito policial e pediu a prisão preventiva do suspeito. O último indício da polícia é de que o homem estava em Araxá (MG).
O g1 teve acesso ao laudo necroscópico do corpo de Edilamar, emitido ainda nesta semana. No documento, a perícia informa que, pelo avançado estado de decomposição, não foi possível concluir a causa da morte.
Mulher morta e enterrada
Polícia investiga morte de mulher em Nova Granada
O corpo de Edilamar foi encontrado pela mãe dela. Ela estava enterrada no quarto da casa onde morava, em Nova Granada.
A Polícia Militar foi acionada e constatou que o portão da residência foi arrombado. Em um dos quartos havia uma cômoda em cima de um tapete e, no local, foi encontrada uma espécie de cova.
Com uma pá, a equipe localizou o corpo dela. Segundo o relato da mãe à polícia, a filha estava desaparecida havia oito dias.
De acordo com a PM, várias pedras de naftalina foram encontradas na soleira da janela para disfarçar o odor do corpo. Na varanda tinham baldes e uma sacola com terra.
Os bombeiros foram acionados para retirar o corpo, encaminhado, posteriormente, ao Instituto Médico Legal (IML).
Corpo da vítima foi encontrado enterrado dentro de quarto em residência, em Nova Granada (SP)
Monize Poiani/TV TEM
Veja mais notícias da região no g1 Rio Preto e Araçatuba
VÍDEOS: confira as reportagens da TV TEM

Adicionar aos favoritos o Link permanente.