Homem é preso em BH suspeito de causar prejuízo de R$ 17 milhões em esquema de pirâmide


Segundo a Polícia Civil, ele tinha uma empresa de investimentos de fachada. Suspeito ainda teria ameaçado as vítimas. Coletiva de imprensa da Polícia Civil nesta quinta-feira (13)
Polícia Civil/ Divulgação
Um homem de 28 anos foi preso em um shopping de Belo Horizonte, nesta quarta-feira (12), suspeito de causar prejuízo de cerca de R$ 17 milhões a 35 vítimas por meio de uma empresa de investimentos de fachada. Ele era alvo de um mandado de prisão preventiva.
De acordo com a Polícia Civil, o suspeito dizia atuar no mercado de câmbio, mas operava um esquema de pirâmide financeira.
“Mas o modus operandi dele é muito semelhante a todas as outras pirâmides financeiras: exposição midiática em redes sociais, ostentação de artigos de luxo, veículos, apartamentos, festas, enfim, tudo aquilo que gerava interesse nas pessoas, sempre apresentando que todos esses artigos de luxo seriam oriundos desse trabalho no mercado financeiro”, afirmou o delegado Marlon Pacheco, titular da 3ª Delegacia de Fraudes.
Segundo o delegado, o suspeito usava o dinheiro de uma pessoa para pagar o eventual rendimento de outras – ele prometia rentabilidade aproximada de 10% ao mês. Em 2020, os investidores começaram a descobrir que foram vítimas de golpe.
“Nós não catalogamos nenhum prejuízo inferior a R$ 50 mil”, disse Pacheco.
A polícia decidiu pedir à Justiça a prisão preventiva do suspeito porque ele estava atrapalhando as investigações. De acordo com o delegado, ele fez ameaças e chegou a enviar fotos de armas de fogo para as vítimas.
“Ele falava que era conhecido da polícia, que era conhecido dos promotores, que conhecia muita gente influente e que teria o poder de obstruir as investigações, que não adiantava procurar a polícia porque a polícia não faria nada”, detalhou o policial.
As investigações continuam com o objetivo de identificar possíveis comparsas do suspeito e outras vítimas.
Vídeos mais vistos no g1 Minas:

Adicionar aos favoritos o Link permanente.