Parque onde professora morreu após descer em tobogã com o filho suspende atividades


Prazo de suspensão não foi informado pela empresa. Luciana Cerri, de 42 anos, e o filho foram arremessados do tobogã e bateram em uma grade de proteção, em São Roque (SP). Luciana Cerri morreu no último sábado (8), após decer em tobogã em parque de São Roque
Arquivo Pessoal/Willian Silva/Imagem cedida
O parque onde uma professora morreu, após descer em um tobogã, em São Roque (SP), divulgou que as atividades no local estão suspensas. O comunicado foi feito nesta quinta-feira (13) nas redes sociais e no site do Ski Park.
“Em solidariedade a família e amigos da vítima, bem como com a finalidade de colaborar com a apuração dos fatos, comunicamos a suspensão das atividades do parque. Agradecemos pela compreensão”, afirma a empresa.
O acidente ocorreu no último sábado (8). A vítima, Luciana Cerri, de 42 anos, descia o brinquedo junto do filho, de sete anos. Segundo uma testemunha, os dois foram arremessados no final da descida e bateram em uma grade de proteção.
O Ski Park não informou o prazo de suspensão das atividades, no entanto, no site da empresa é informado que o local estará fechado até o dia 30 de abril. Para maio, não há informações sobre a compra de ingressos.
Parque onde professora morreu após descer em tobogã divulga suspensão de atividades
Reprodução/ Instagram
Investigação
Um inquérito por morte suspeita e homicídio culposo foi instaurado pela Polícia Civil. A equipe começou a ouvir testemunhas e funcionários do Ski Park. Ao menos dez pessoas devem prestar depoimento ao longo da investigação, entre funcionários, parentes e representantes da empresa.
Dois funcionários do Ski Park foram ouvidos pela Polícia Civil. Conforme apurado pela TV TEM, um deles estava na parte final do tobogã e teria visto o acidente.
O funcionário explicou que no final do brinquedo existe uma rampa, que funciona como um dispositivo de segurança para a pessoa diminuir a velocidade e parar no fim do tobogã. Segundo esse funcionário, esse dispositivo de segurança não funcionou.
Polícia Civil deve ouvir testemunhas nos próximos dias do acidente que matou professora
LEIA TAMBÉM:
Professora que morreu em tobogã escapou ilesa de acidente de carro há menos de um ano
Veja imagens aéreas do parque de diversões onde mulher morreu após descer em tobogã
A Polícia Civil pediu uma perícia ao Instituto de Criminalística de Sorocaba (SP), na parte de engenharia, para a entender a velocidade que uma pessoa pode chegar ao descer no tobogã e se o brinquedo teria alguma irregularidade.
Na última nota divulgada pelo Ski Park, no fim de semana, a empresa lamentou o ocorrido e informou que está à disposição da família e das autoridades.
Tobogã onde mulher morreu fica ao lado da pista de ski, em São Roque
William Silva/Imagens cedidas
‘Cena horrível’
A moradora de Jundiaí (SP) Janine Janeri contou que estava no Ski Park, perto do teleférico, quando viu a mulher descer o tobogã com o filho no colo, e os dois baterem na grade de proteção.
“Ela passou pela lombadinha do tobogã, só que a velocidade estava muito alta. Eles voaram e bateram em uma estrutura de ferro que tem entre o tobogã e o teleférico. Foi um barulho horrível, uma cena horrorosa”, relata.
Janine contou à TV TEM que o garoto chegou a caminhar em direção a ela, mesmo ferido. “Fui correndo, olhei para ele, e ele me abraçou e disse: ‘e agora? O que vai acontecer? Eu vou levar pontos?’. Ele estava com o rostinho todo machucado, todo desfigurado”, diz.
Turista que ajudou a socorrer criança em acidente com tobogã que matou mulher lembra momento
Arquivo pessoal
VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM
Veja mais notícias da região no g1 Sorocaba e Jundiaí

Adicionar aos favoritos o Link permanente.