• New Page 1

    RSSFacebookYouTubeInstagramTwitterYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTubeYouTube  

Um dia após aumento de pena em processo por tortura, Veronica Costa faz discurso na Câmara e diz: ‘Vou lutar até a última instância’


Decisão foi tomada na quarta-feira (12), após desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Rio de Janeiro atenderem a apelo do Ministério Público contra a pena em primeira instância. Veronica Costa na Câmara: ‘Orem por mim’
Reprodução
Um dia após ter sua pena aumentada em um processo em que foi condenada por tortura, a vereadora Veronica Costa (PL) fez um discurso emocionado na Câmara do Vereadores nesta quinta-feira (13) e reafirmou sua inocência no caso.
A vereadora teve sua pena aumentada de 5 anos e 10 meses de prisão para 10 anos e 8 meses pelos desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Rio de Janeiro, que atenderam uma apelação feita pelo Ministério Público, que não ficou satisfeito com a punição em primeira instância.
Veronica começou seu discurso dizendo que foi vítima de violência doméstica, em seu casamento com Márcio Costa – seu segundo marido -, e que suportou muitas situações por acreditar que podia salvar o casamento.
“Fui agredida, tive minha casa quebrada tinha vergonha dos vizinhos acompanhando. Mas continuei ali. Eu nasci para o amo, para curar as pessoas. Eu acho que não sei dar um soco. Como estou sendo acusara de máxima tortura?”, questionou chorando.
Veronica Costa
Reprodução
Ela questionou ainda a Justiça não se ater às provas técnicas do caso.
“Eu e minha família fizemos corpo de delito e não tínhamos um arranhão. Como a pessoa tortura a outra e não tem um arranhão? Uma marca de luta? Os laudos foram inconclusivos. São muitas as provas. Eu estou apavorada, anestesiada, machucada. Mas vou lutar para provar a minha inocência”, disse.
Veronica Costa na Câmara
Reprodução
“Se eu tivesse me separado, não estaria passando por tamanha humilhação agora. Mas enquanto eles não me prenderem, eu vou estar aqui, lutando. Eu peço: orem por mim. Eu vou lutar até a última instância”, disse chorando muito.
O aumento da pena
O aumento da pena e a condenação é pelo caso em que Veronica e parentes foram processados por torturar o então marido da vereadora, Márcio Costa. O crime aconteceu em 2011, mas a primeira condenação foi em 2019.
Além do aumento da pena, os desembargadores que analisaram o caso decidiram que o cumprimento da pena seja em regime fechado – na primeira sentença era semiaberto -, e mantiveram a determinação para que Verônica perca do cargo de vereadora.
Vereadora Verônica Costa tem pena aumentada de 5 para 10 anos de prisão por tortura a ex-marido
Os quatro familiares de Verônica, que figuravam como réus junto com ela, também tiveram suas penas aumentadas e devem cumpri-la em regime fechado.
‘Não fiz nada disso’
Com a repercussão do caso na quarta-feira(12), Veronica e sua defesa se manifestaram nas redes sociais para falar sobre a nova condenação.
Em uma nota longa, ela negou que tenha participado da tortura ao ex-marido e disse carregar um fardo com a história.
“Venho, neste momento desolador da minha vida, compartilhar apenas A VERDADE DOS FATOS. Fui vítima de violência doméstica pelo meu ex marido Márcio, que me ameaçou de morte com arma na cabeça, fato que registrei na delegacia de polícia (DEAM)”, disse.
Márcio Costa na época da julgamento
Aluizio Freire/G1
“Não satisfeito com isso ele criou uma falsa acusação de tortura contra mim, o que gerou um processo criminal absurdo e cheio de nulidades, tanto que o mesmo já foi anulado pela própria Justiça uma vez, mas agora gerou essa condenação injusta contra mim”, escreveu em outro trecho.
“Sangro essa dor desde que saiu o resultado do primeiro julgamento há 10 anos atrás. Eu acredito na justiça de Deus, eu acredito na Justiça dos homens. Nunca fiz nada disso que ele alega, minha família também não. A acusação alega que a antena do meu celular estava próximo do ocorrido, como se isso bastasse para firmar a minha culpa”, escreveu.
Defesa diz que vai recorrer da decisão
Já a defesa da vereadora, feita pelo escritório Teixeira e Kulmann advogados, emitiu nota lamentando a decisão.
“A defesa de Veronica Costa vem afirmar que sua condenação, baseada em versão da suposta vítima sem base probatória, certamente será revertida em novos recursos ante sua fragilidade. A versão acolhida pela Justiça neste momento se assenta em dúvidas e não certezas, em palavra da vítima, que fugiu do processo se negando a apresentar material genético para confrontar prova técnica favorável a defesa, vítima esta aliás que ameaçou Veronica de morte antes dos fatos”, escreveu.
Veronica Costa
Reprodução/Rede social
O caso
Em 2011, Márcio Costa, então marido de Veronica Costa, esteve na 42ª DP, no Recreio, na Zona Oeste do Rio, para registrar queixa contra a mulher e parentes dela por tortura e tentativa de homicídio.
Segundo contou em sede policial, ele teria sido amarrado, agredido e sido banhado por um líquido que provocou lesões em seu corpo. Na época, ele disse acreditar que seria uma espécie de ácido. Márcio teria conseguido fugir e fez a denúncia na delegacia, que depois virou processo criminal.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.