Mulher é condenada a 35 anos de prisão por envolvimento na morte de jovem a mando de facção em RR


Raiana Costa de Souza foi condenada por homicídio triplamente qualificado, sequestro, ocultação de cadáver, tortura, corrupção de menores e organização criminosa. A vítima, Érika Samay Rodrigues da Silva, foi assassinada em outubro de 2019. Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR)
Divulgação/Nucri/TJRR/Arquivo
O Tribunal do Juri condenou a 34 anos de prisão a ré Raiana Costa de Souza por envolvimento na morte da jovem Érika Samay Rodrigues da Silva, à época com 18 anos, a mando de uma organização criminosa. O julgamento ocorreu nessa quarta-feira (12).
O crime ocorreu em outubro de 2019. A vítima foi atraída pelo namorado, que junto com Raiana e outras sete pessoas, a mantiveram em cárcere privado em três locais diferentes, torturaram e a “julgaram à morte”.
Segundo o Ministério, a vítima foi decapitada pelo namorado Alan da Silva Souza, condenado pelo crime em setembro do ano passado. O corpo dela foi encontrado 16 dias após o crime, no loteamento João de Barro.
Raiana Costa foi condenada por homicídio triplamente qualificado, além dos crimes de sequestro, ocultação de cadáver, tortura, corrupção de menores e organização criminosa. Ela foi a última pessoa a ser condenada pelos crimes, a denúncia à Justiça foi feita pelo Ministério Público de Roraima (MPRR).
A acusação foi sustentada pelo Promotor de Justiça da 1ª titularidade da Promotoria do Júri de Boa Vista, Joaquim Eduardo dos Santos. Ele afirmou que o julgamento da ré finaliza “um ciclo exitoso de penas aos criminosos”.
“A condenação dos réus não trará a vida da vítima, mas é uma resposta do trabalho de todos os envolvidos à sociedade”, destacou ele.
Leia outras notícias do estado no g1 Roraima.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.