Votorantim confirma duas mortes por dengue


Confirmação foi feita pelo Instituto Adolfo Lutz. Primeira morte aconteceu há 30 dias; segunda há 20 dias. Mais de 1,4 mil casos da doença já foram registrados na cidade em 2023. Em sete dias, foram 170 casos. Assim como dengue e zika, o chikungunya também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti
GETTY IMAGES
O Instituto Adolfo Lutz confirmou, na manhã desta quinta-feira (13), duas mortes por dengue em Votorantim (SP). As vítimas são duas mulheres, de 58 e 83 anos, moradoras da região do Novo Mundo e do Jardim Icatu.
A primeira morte aconteceu há 30 dias e a segunda a cerca de 20 dias. Mais de 1,4 mil casos da doença já foram registrados na cidade em 2023. Em sete dias, foram 170 casos. Em março, a prefeitura havia informado que investigava duas mortes por suspeita da doença.
De acordo com o Instituto, a primeira mulher não tinha doenças que pudessem justificar a ampliação do quadro da dengue, levando a dengue hemorrágica. Já a idosa tinha comorbidades.
Para intensificar os cuidados, a prefeitura iniciou, também nesta quinta-feira (13), mais um mutirão no Jardim São Lucas. É o terceiro em um mês. 80% dos casos se concentram nessas regiões e os mutirões servem para eliminar criadouros, que colaboram para o aumento dos números.
A secretária de saúde de Votorantim, Izilda Chiozzotto, explica que, desde a confirmação dos casos, equipes estão nos bairros realizando estas ações de limpeza.
“A intensificação continua nessa região, pois é a região que mais registra casos, mas precisamos da ajuda dos moradores para identificar os focos de criadouros e principalmente deixar as equipes entrarem nas casas para poderem aplicar os inseticidas e dar orientações gerais”, reforça.
Votorantim registra duas mortes por dengue
Para que a população tenha segurança, os agentes de controle de endemias sempre estarão uniformizados com crachás da prefeitura. Além disso, um carro com um alto-falante passa pelas ruas dias antes ou no mesmo dia do mutirão para avisar sobre a ação.
Chiozzotto ainda acrescenta que, caso o morador tenha alguma dúvida, é possível entrar em contato com a secretaria da saúde pelo número (15) 3353-8600 para confirmar se a região está sendo visitada pelos agentes.
À TV TEM, a secretária também informou que, nos próximos dias, será feito um trabalho de fumacê no Jardim São Lucas. A ação é noturna, das 17h às 22h, para tentar diminuir o número de mosquitos.
A população irá receber orientação via carro. O veículo com o fumacê irá passar fazendo a liberação da fumaça do veneno. “Todos devem deixar portas e janelas abertas para que haja efetivação do produto dentro das suas casas”, orienta a secretária.
Atendimento nas UBSs
A cidade conta com 15 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a Unidade de Pronto Atendimento. No entanto, a notificação e o teste rápido para confirmação da dengue são feitos nas UBSs. Portanto, os pacientes com sintomas só devem procurar o Pronto Atendimento se a UBS encaminhar, ou durante o fim de semana, se os sintomas estiverem mais graves.
Normalmente, a dengue tem um período de cinco a sete dias de sintomas. Izilda explica que, em casos leves, apesar de ter muita dor no corpo, dor de cabeça, dor nos olhos e febre até 38,5º, se o paciente tomar um medicamento antitérmico, sentirá um alívio e verá a febre diminuir. Já nos casos mais graves, se a pessoa tomar o remédio e a febre continuar acima de 39º por um período longo e dores abdominais surgirem, deve-se procurar um pronto atendimento.
“A gente orienta a população para se hidratar com soro caseiro que são fornecidos nas UBSs ou água. O importante é se hidratar, quanto mais ingerir líquido, os sintomas vão melhorando”, completa.
Veja mais notícias da região no g1 Sorocaba e Jundiaí
VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM

Adicionar aos favoritos o Link permanente.