Médico fala sobre riscos à saúde causados pela inalação de desodorante aerossol após morte de adolescente em Foz do Iguaçu


Adolescente teve parada cardiorrespiratória após inalação e morreu na noite de quarta (12). Conforme especialista, respirar grande quantidade do produto pode causar problemas como pneumonia, bronquite e em casos mais graves, como do adolescente, asfixia que resultou em parada cardiorrespiratória. Médico pneumologista explica os riscos de inalar aerossol
O médico pneumologista Carlos Eduardo Ficht de Oliveira alertou nesta quinta-feira (13) em entrevista à RPC sobre os riscos da inalação de desodorante aerossol após a morte de um adolescente de 15 anos em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Conforme o especialista, respirar grande quantidade do produto pode causar problemas como pneumonia, bronquite e em casos mais graves, como do adolescente, asfixia que resultou em parada cardiorrespiratória.
“Isso é um problema bastante sério, bastante grave, um risco para a saúde pulmonar porque pode causar graus variados e intensos de traqueite, inflamação bronquia, a bronquite, e eventualmente, dependendo de quanto a pessoa aspirar até de pneumonia, pneumonite”, afirmou o especialista.
Médico fala sobre riscos à saúde causados pela inalação de desodorante aerossol após morte de adolescente em Foz do Iguaçu
Reprodução RPC
“No caso desse menino que faleceu aqui em Foz, provavelmente a quantidade que ele aspirou foi bastante considerável, bastante grande, e isso leva a um processo de asfixia em que a pessoa não consegue mais respirar”, explicou o médico.
A morte do adolescente foi registrada na noite de quarta-feira (12). Conforme a Polícia Civil, a causa foi a inalação do produto, prática frequente do adolescente, segundo apurado pela polícia. Veja outros detalhes mais abaixo.
Para o médico, a falta de oxigenação pode ter causado a morte do adolescente. “Então provavelmente, a causa de todo problema fatal foi uma hipoxia, falta de oxigenação, provocada por essa inflamação da via respiratória e dessa inflamação pulmonar associada”, afirmou o especialista.
Ele recomenda que o uso do produto deve ser feito preferencialmente em ambiente aberto para que o usuário não corra o risco de inalar o produto.
“Então, é um risco, este propelente é tóxico para a via respiratória, mesmo em doses baixas, nós sempre consideramos fazer o uso em ambiente ventilado para que a pessoa não corra risco de aspirar, mesmo que seja acidental”, destacou Oliveira.
Morte de adolescente após inalar produto
Colégio Agrícola Estadual Manoel Moreira Pena, em Foz do Iguaçu
CEEP/Divulgação
De acordo com o delegado de Polícia Civil Rodrigo Souza a morte do adolescente no Centro Estadual de Educação Profissional Manoel Moreira Pena, colégio agrícola de Foz do Iguaçu, foi causada por uma parada cardiorrespiratória após inalação de desodorante aerossol.
Ele afirma, no entanto, que o uso do produto não faz parte de desafio de internet e que, após oitivas, foi constato que o adolescente fazia uso “recreativo” frequente do líquido, segundo Souza.
“A morte foi causada por inalação de desodorante […]. No local realizamos umas 12 oitivas com os adolescentes que estavam na escola e também com os inspetores e descartamos, pela análise dos celulares apreendidos, […] qualquer situação de desafio ou jogo, isso a gente já descartou”, explicou.
“O que de início parece é que esse adolescente já fazia uso recorrente dessa substância, dessa forma de ficar cheirando desodorante, o que acarretou em uma parada cardiorrespiratória que o que parece foi a causa da morte dele.”
“Ele fazia uso recreativo disso. Infelizmente uma fatalidade, mas nada veiculado a desafio de internet ou a qualquer plataforma digital”, afirmou o delegado.
A ocorrência, segundo bombeiros
Conforme o Corpo de Bombeiros, uma equipe foi acionada por volta das 21h para atendimento de um estudante.
Um dos bombeiros que atendeu a ocorrência o tenente Jessé Marcelo Wink, explicou o que foi feito pela equipe ao chegar no colégio.
“Chegando ao local a gente constatou através do relato do pessoal do colégio, que se tratava da inalação de um gás asfixiante. A vítima já se encontrava de em PCR, parada cardiorrespiratória, que é uma situação bem grave. Então, de imediato, já foram adotados procedimentos de massagem cardíaca. O médico também fez procedimento para entubar a vítima e também foi administrado drogas, adrenalina, quatro ampolas, para tentar reverter esse caso”, explicou.
Após o atendimento, o adolescente foi encaminhado ao Hospital Municipal de Foz do iguaçu, mas não resistiu e morreu.
O corpo do adolescente permanece no Instituto Médico-Legal de Foz do Iguaçu e deve ser liberado ainda nesta quinta-feira (13) aos familiares.
VÍDEOS: Mais assistidos g1 PR
Veja mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.