Psicóloga afirma que pai de santo investigado por estuprar mulheres ameaçava matá-la caso ela não fizesse o que ele queria: ‘Nos manipulava’


Abusos ocorriam durante atendimentos, segundo o relato policial. Pelo menos sete mulheres procuraram a delegacia, inclusive, menores de idade. Delegacia Polícia Civil Luziânia Goiás
Reprodução/Polícia Civil
O pai de santo suspeito de abusar sexualmente de fiéis, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, pode ter feito 16 vítimas, segundo informou uma psicóloga que frequentou, por quatro meses, a casa de Umbanda administrada pelo homem, de 46 anos. A mulher, que não quis se identificar por medo, disse que foi ameaçada de morte pelo suspeito caso não concordasse com os abusos. Entre as vítimas, conforme ela, há adolescentes de 15, 16 e 17 anos.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
O g1 entrou em contato com o suspeito por telefone para que ele se posicionasse, mas as mensagens não foram respondidas até a última atualização desta reportagem.
LEIA TAMBÉM
Homem é suspeito de se passar por pai de santo para estuprar e extorquir dinheiro de mulheres
Falso pai de santo de 79 anos é indiciado por violação sexual, em Campos Belos de Goiás
Homem que se apresentava como pai de santo é denunciado por crimes sexuais contra mulheres em Aparecida de Goiânia
A vítima contou que foi importunada sexualmente pelo suspeito durante um procedimento espiritual. Segundo ela, o pai de santo usava da religião para estuprar e molestar as mulheres. Ao todo, sete fiéis procuraram a Polícia Civil (PC) na segunda-feira (10) para denunciar o homem formalmente, conforme consta no relato policial.
“Ele dizia que se eu não fizesse o que ele queria, ele poderia mexer com o lado da magia que ele tinha conhecimento. Ou que eu iria acabar me matando porque ele sabia que eu não iria aguentar meu ‘carrego’ e por isso precisava fazer o procedimento com ele. Ele sempre usava dos nossos pontos mais vulneráveis, nos manipulava com isso”, explicou.
Além de serem ameaçadas de morte, o pai de santo também ameaçava parentes das mulheres para cometer os crimes. Uma das vítimas, inclusive, foi estuprada após o suspeito dizer que mataria a companheira dela, caso não tivesse relações sexuais com ele. Já uma outra vítima foi abusada sexualmente por cinco vezes, conforme conta no relato policial.
Outros familiares das vítimas, como filhos e pais, também faziam parte da gama de entes queridos ameaçados pelo suspeito, conforme a mulher. Ela afirma que os abusos ocorriam há cerca de cinco anos.
“Ele sempre usava a mesma desculpa, falava que estávamos carregadas e que usava as entidades para realizar os descarregos. Os procedimentos eram feitos com toques. Ele também dizia que era preciso fazer transferência de energia com penetração. Elas [mulheres] estão machucadas. Tem mulheres que foram laceradas”, afirmou.
Os crimes, de acordo com a psicóloga, ocorriam há cerca de seis anos. Ela explica que depois de denunciarem o homem, descobriram que ele estava foragido pelo mesmo crime.
“A gente imagina que isso [abusos] já aconteciam há cinco ou seis anos, mas pode ser há mais tempo. Quando aconteceu comigo [abuso], me senti incomodada, e procurei outras mulheres. As primeiras com quem falei foram as menores de idade e, então, falei que estava errado e a gente procurou a delegacia”, contou.
Extorsão
Além de cometer os abusos, o pai de santo também explorava as fiéis financeiramente, de acordo com a vítima. Apenas uma das mulheres, por exemplo, foi extorquida em R$ 3 mil, conforme o relato policial. O homem é investigados por estupro, estupro de vulneravel e imporatunação sexual.
O g1 procurou a Polícia Civil (PC) para saber se mais mulheres procuraram a delegacia, mas a corporação afirmou que o caso está em sigilo.
Veja outras notícias da região no g1 Goiás.
VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

Adicionar aos favoritos o Link permanente.