Troca de hidrômetros: cinco mitos e verdades sobre a ação realizada pela BRK


Entenda por que o seu medidor de água foi substituído e qual a importância do equipamento para identificar desperdícios Popularmente conhecido como relógio, o hidrômetro é um equipamento de precisão que mede o volume de água consumido dentro de um imóvel. Seja casa, edifício, prédio público, estabelecimento comercial ou industrial, todos os imóveis que utilizam as redes públicas de abastecimento devem possuir esses medidores, que contribuem diretamente para o uso consciente da água e a identificação de vazamentos internos.
Dessa forma, os hidrômetros são acionados, em tempo real, sempre que uma saída de água (como torneira, chuveiro ou descarga) é aberta ou quando há um consumo não intencional, gerados por vazamentos, muitas vezes imperceptíveis, na encanação do imóvel. Para que seja possível identificar esses desperdícios e ter um controle efetivo sobre a quantidade de água gasta mensalmente, o medidor precisa estar em boas condições.
Isso porque, como qualquer equipamento de precisão, os hidrômetros têm uma vida útil e se desgastam ao longo do tempo, comprometendo a capacidade de medição. Por isso, existe uma normativa especificada na portaria n° 246/2000 do Inmetro que recomenda a troca desses equipamentos a cada cinco anos.
Na Região Metropolitana de Maceió, a BRK tem realizado a substituição de hidrômetros muito antigos, desgastados ou que nunca foram trocados. “Para se ter uma ideia, a gente já encontrou medidor de 1987. Ou seja, esse equipamento não tem mais condições de medir efetivamente o volume de água que está sendo consumido naquele imóvel, seja intencional ou não”, explica Flávio Galindo, coordenador de Serviços Técnicos Comerciais da concessionária.
Como ainda existem algumas dúvidas nos consumidores sobre a ação, a BRK elencou cinco mitos sobre a troca de hidrômetros que são disseminados frequentemente de forma equivocada.
Confira!
Mito: “Os novos hidrômetros aumentam a conta de água”
Verdade: Os novos equipamentos não interferem no consumo do imóvel, apenas registram o volume real de água que está sendo consumido. Se você percebeu que a sua conta aumentou após a troca do medidor, provavelmente o hidrômetro antigo não estava mais medindo com precisão a quantidade de água usada na sua casa.
Saneamento é só o começo
divulgação
A verificação do consumo de água de cada imóvel é realizada mensalmente pela BRK, com a indicação do volume registrado por meio da diferença da leitura atual em relação à registrada no mês anterior. Sobre esse volume verificado em metros cúbicos (m³) é aplicada a tarifa correspondente e calculado o valor da fatura mensal.
Mito: “O novo medidor gira mesmo sem consumo de água”
Verdade: Casos em que as entradas de água da residência estão fechadas e o hidrômetro continua registrando o consumo são típicos de vazamentos internos. Essa é uma indicação de que existe um desperdício de água na encanação do imóvel que está sendo contabilizado na sua fatura. Provavelmente, esse vazamento já existia antes da troca do hidrômetro, mas não era registrada pelo antigo medidor devido ao desgaste do equipamento.
Resolver vazamentos dentro do imóvel é responsabilidade do cliente, que deve chamar um encanador de sua confiança para encontrar e solucionar o problema. Com o laudo técnico e demais evidências em mãos, é possível conseguir um desconto sobre o volume excedente após análise da BRK.
Mito: “Os moradores precisam estar presentes durante a troca de hidrômetros”
Verdade: Os hidrômetros são ativos da concessionária, não pertencem aos clientes. Por isso, a empresa precisa ter livre acesso a esses equipamentos, tanto para que os leituristas consigam ler o consumo registrado mensalmente quanto para que possam ser aferidos e testados quando necessário.
Mito: “Os novos medidores são programados pela empresa para gerar lucro”
Verdade: Os novos hidrômetros são testados, aprovados e devidamente lacrados pelo Inmetro. Nenhuma concessionária tem interferência sobre quaisquer normas técnicas ou regulamentações estabelecidas pelos órgãos reguladores.
Dessa forma, a função dos hidrômetros é apenas medir o consumo de água de um determinado estabelecimento. Portanto, não existe mistério no funcionamento dos medidores: quanto maior o consumo, mais alto é o valor da conta.
Mito: “A troca de hidrômetros é cobrada na fatura”
Verdade: A troca de hidrômetro é totalmente gratuita. Uma equipe da BRK, uniformizada e identificada, realizará a troca do aparelho sem nenhum custo ao cliente. No entanto, se o hidrômetro precisar ser substituído fora do intervalo regular de troca, por danos causados ao equipamento, pode haver um custo associado.
Saneamento é só o começo
divulgação

Adicionar aos favoritos o Link permanente.