Operação do Gaeco em Aguaí prende motorista envolvido em desvio de carga de placas solares avaliada em R$ 500 mil


Operação Refração cumpriu mandados em na cidade e também em MG. Foram apreendidos celular e documentos. Operação do Gaeco em Aguaí prende motorista envolvido em desvio de carga de placas solares
Sagui Florindo/Gazeta de Aguaí
Um motorista foi preso em Aguaí (SP) na manhã desta quinta-feira (13) suspeito de participar do desvio de carga de placas solares avaliada em R$ 500 mil.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Integrantes de quadrilha envolvida com desvio, furto e roubo de cargas de placas solares tiveram R$ 3 milhões bloqueados na Operação “Refração”, deflagrada nesta manhã em Aguaí, e nas cidades mineiras de Conceição das Alagoas e Frutal.
Foram cumpridos cinco mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão, sendo dois em cada cidade.
Gaeco realiza operação em Aguaí (SP)
Gaeco/Divulgação
Segundo o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberaba (MG), José Cícero, a investigação começou após o motorista de caminhão registrar um boletim de ocorrência em julho do ano passado informando que teria sido vitima de um roubo de carga no Pará.
A polícia descobriu que o suspeito apresentou um B.O. falso. O objetivo do motorista, junto com o dono do caminhão e outros comparsas, era fraudar o frete da carga. Preso preventivamente, o suspeito foi encaminhado para São João da Boa Vista (SP).
A operação em Aguaí contou com o apoio da Polícia Militar, Gaeco de Campinas (SP) e Polícia Penal de Minas Gerais. As equipes apreenderam celular e documentos que serão utilizados para investigação do Gaeco de Uberaba.
Investigação
Operação do Gaeco em Aguaí prende motorista envolvido em desvio de carga de placas solares
Gaeco/Divulgação
Conforme o Gaeco, a investigação começou em agosto de 2022 para apurar várias ocorrências de furtos e roubos de cargas de equipamentos de produção de energia fotovoltaica – como placas de captação de energia solar, conversores para energia elétrica, dentre outros equipamentos – principalmente na região de Conceição das Alagoas.
Motoristas, agenciadores, negociadores foram identificados como responsáveis por esses crimes. Foi descoberto que a quadrilha tinha um esquema estruturado, desde a organização dos desvios, até uma estrutura de vendas, com rede de receptadores para as cargas desviadas.
O nome da operação faz menção ao efeito produzido pela luz solar ao mudar de meio material. Na refração, a luz sofre alteração em suas ondas ao mudar de meio ótico – fazendo referência aos desvios das placas solares.
VÍDEOS: Reveja as reportagens dos telejornais da EPTV
Veja mais notícias da região no g1 São Carlos e Araraquara

Adicionar aos favoritos o Link permanente.