Família de brasileiras que foram presas na Alemanha após troca de malas alertam que estão aplicando golpes no nome delas: ‘Não estamos pedindo PIX’


Kátyna Baía e Jeanne Paollini foram soltas após ficarem mais de um mês presas, em Frankfurt, na Alemanha. Elas ainda não voltaram para o Brasil. Jeanne Paollini e Kátyna Baía em viagem em Paris, na França
Reprodução/Redes sociais
A família das brasileiras que foram presas na Alemanha após terem malas trocadas alertaram que criminosos estão aplicando golpes no nome delas. A médica veterinária Jeanne Paollini e a personal treiner Kátyna Baía ainda estão na cidade de Frankfurt.
“Não estamos pedindo PIX para ajudar no retorno da Kátyna e Jeanne para o Brasil. Fiquem atentos”, escreveram em uma rede social destinada ao caso das duas.
As brasileiras Jeanne Paollini e Kátyna Baía foram presas após terem as malas trocadas por bagagens com droga. As duas saíram da prisão na terça-feira (11), mas ainda não retornaram ao Brasil.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.