Ministério Público denuncia por homicídio com dolo eventual motorista de ônibus que tombou e matou sete pessoas no Paraná


Condutor responde ao processo em liberdade. Promotores afirmaram que ele assumiu o risco de causar acidente. Ministério Público denuncia motorista de ônibus que tombou na BR-277
O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou por homicídio com dolo eventual – quando se assume o risco de matar – o motorista do ônibus que tombou na BR-277, em Fernandes Pinheiro, na região central do Paraná, e matou sete pessoas.
O acidente foi na madrugada de 31 de janeiro deste ano. O ônibus da empresa Viação Catarinense, que fazia a linha Florianópolis-Foz do Iguaçu, saiu da pista e tombou às margens da rodovia.
Sete pessoas morreram e 22 ficam feridas após ônibus de viagem tombar na BR-277, em Fernandes Pinheiro
Divulgação/PRF
A denúncia foi apresentada pela Promotoria de Teixeira Soares. Segundo a denúncia, o motorista do ônibus, Edison Brito de Lima, 43 anos, assumiu o risco de causar o acidente porque sabia que a sua conduta poderia resultar em morte.
Edison, que responde em liberdade, foi denunciado por sete homicídios, seis lesões corporais graves e duas leves.
O g1 tenta contato com a defesa dele.
No documento, o MP cita os nomes das vítimas, que tinham entre 3 e 49 anos. Dos passageiros que morreram, cinco eram argentinos e dois brasileiros.
Segundo os promotores, outros passageiros que prestaram depoimento relataram que o motorista, mesmo antes do acidente, estava visivelmente com sono.
Polícia começa perícia em ônibus que tombou na BR-277 e matou sete pessoas
Sete pessoas morrem e 22 ficam feridas após ônibus de viagem tombar na BR-277, em Fernandes Pinheiro
Saiba quem são as vítimas que morreram após ônibus tombar na BR-277
Conforme o MP, o condutor invadiu a pista contrária em diversos momentos, fazendo com que outros motoristas buzinassem para alertá-lo.
A Justiça analisa agora se aceita ou não a denúncia do Ministério Público. Se ela for aceita, o motorista vira réu no processo.
Procurada pela RPC, a Viação Catarinense ainda não deu retorno sobre a acusação do MP contra o condutor.
Mais assistidos do g1 PR

Leia mais em g1 Campos Gerais e Sul.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.